terça-feira, 30 de outubro de 2012

Capitulo 8 - O encontro


Nick "ON"

(...)
_Eu sei...vou ver o que faço._Ele disse saindo. Eu logo fui encontrar a minha garota. O pessoal já estava sabendo quem Joe havia tirado, e ficaram surpresos. Esperei boa parte do pessoal ir embora e logo decidi levar logo a garota. Levei-a para um dos melhores motéis de L.A. Para mim, a noite estava apenas começando!


Joe “ON”

Eu não podia acreditar que com tantas pessoas naquela festa, logo eu iria tirá-la. Não podia ser verdade! O pessoal já havia ido embora, e todos já sabiam da minha desgraça. Devido às regras, hoje eu ficaria sozinho, e como havia tirado ela, teria até 1 mês para cumprir meu desafio. Eu não sabia o que fazer, não conseguia me imaginar ficando com a Demetria em nenhuma circunstancia.  Depois de fechar a casa subi e tomei um banho gelado para ver se acordava daquela loucura, mas de nada iria adiantar. Tudo era realidade. Sai do banho e coloquei apenas uma bermuda, já que não dormia de camiseta nem no frio. Deitei-me em minha cama, mas não conseguia dormi. Eu teria que achar um jeito de conquistá-la, pois a conhecendo sabia que não iria se entregar tão fácil. Acabei dormindo em meio aos meus pensamentos. Acordei no outro dia com o sol batendo em meu rosto. Olhei no relógio e já era 13:00. Como eu dormi! Levantei, tomei um banho e como o dia estava ensolarado, coloquei apenas uma bermuda jeans, uma camiseta, tênis e um boné. Desci e passei rapidamente pela cozinha para comer algo rápido. Hoje eu teria que começar a conquistar a Demetria. Queria cumprir esse desafio o mais rápido o possível e acabar logo com isso! Terminei de comer, peguei a chave de meu carro e fui em direção a casa dela. Parei na portaria e me identifiquei, mas mesmo me conhecendo, o porteiro ligou para ela pedindo permissão. Eu sabia que ela me deixaria entrar, e assim foi. Entrei e fui em direção a sua casa. Desci do carro e fui até a porta evitando um pouco em tocar a campainha. Respirei fundo e assim fiz. Em um pequeno espaço de tempo, pude ouvir a porta sendo aberta. Era ela.
_Oi._Disse sorrindo.
_Oi Joseph._Sorriu em resposta._Entre._Deu espaço para que pudesse passar.
_Me desculpe vim sem avisar._Disse vendo-a fechar a porta atrás de si.
_Não tem problema, mas a que devo sua visita?_Perguntou confusa.
_Demi, gostaria de ir a um pic-nic comigo?_Eu não sei como, mas me senti bem ao vê-la sorrir ao lhe convidar.
_Eu?_Ela parecia surpresa, mas ainda sorria um pouco.
_Sim, hoje às 17:00. Quero ver o pôr-do-sol. _Eu adorava ir ver o pôr-do-sol com meu pai quando era pequeno, e achei que não seria uma má idéia levá-la lá. Seria bom para mim também, e afinal, teria que fazer algo que também gostasse.
_Não sei se é uma boa idéia Joseph._Ela abaixou a cabeça.
_Hey._Levantei sua cabeça._Passo aqui as 16:30 ok?_Disse sorrindo.
_Tudo bem._Ela sorriu de canto. Não sei, mas eu gostava de vê-la sorrindo. O que eu to falando? Eu não posso me desconcentrar!
_Nos vemos mais tarde então._Virei às costas e fui em direção a porta.
_Obrigado._Pronunciou baixo. A olhei e assenti. Sai de lá e fui para casa providenciar algumas coisas para o nosso “encontro”.

Demi “ON”

Ainda não estava acreditando que o Joseph havia me convidado para sair. Tudo acabou sendo bem estranho, mas o mesmo não me deixou escolha e tive que aceitar. Eu estava nas nuvens, tanto que esqueci que agora Selena estava morando comigo, e que eu não poderia deixá-la sozinha em casa. Que burrada que eu fiz, mas eu não tinha o telefone dele, e não dava para falar que não iria quando ele já estivesse aqui. Subi e entrei no quarto da Sel que estava deitada na cama com seu Ipod.
_Sel, eu preciso falar com você._Disse sentando na cama.
_Pode falar Demi._Ela tirou os fones.
_Lembra do Joseph? _Falei envergonhada.
_Claro que lembro o idiota da escola por quem você é completamente apaixonada._Ela riu.
_Sim, é ele mesmo. Sabe o que é...ele acabou de vir aqui em casa e me chamou para sair._Estava com um pouco de receio.
_E você aceitou, não é?_Foi engraçada a cara de confusa que ela fez, então eu ri.
_Aceitei, mas o problema é que é hoje. Não acho justo te deixar sozinha no segundo dia que você esta aqui em casa._Baixei a cabeça._Como eu não tenho o telefone dele,  vou esperar vim me buscar e ai falo que não poderei ir. Ele deve entender.
_Você está louca?_Selena agora havia se levantado e estava na minha frente.
_An? _Fiquei confusa.
_O garoto que você gosta te chamou para sair e você está pensando em não ir por minha causa? Mas não mesmo!_Me estendeu a mão e me ajudou a levantar._Vem, vamos escolher uma roupa que vai te deixar ainda mais linda do que você já é!_Ela nem me deixou responder. Fomos para meu quarto e lá ela abriu meu closet e começou a vasculhar tudo, até sair de lá com um vestido rosa bebê florido, um casaquinho jeans e uma sapatilha também rosa. Eu nunca havia usado aquelas roupas, nem sei por que eu havia comprado, mas nem discuti, apenas tomei um banho e me vesti. Quando sai do banheiro já vestida, me olhei no espelho e gostei do resultado. Eu estava tão diferente, ao invés de por os óculos, havia colocado as lentes de contato jamais usadas, e soltado meu cabelo.
_Você está linda amiga._Selena falava enquanto me ajudava a colocar um colar que eu tinha ganhado no meu aniversário passado.
_Obrigada Sel, mas será que ele vai gostar? _Perguntei com um tom de receio.
_Claro que vai...você está  simplesmente linda!_Nesse momento, ela me virou e me abraçou me passando um pouco de segurança.
_É, espero que sim...mas que horas são?_Eu ia pegar meu celular, mas ela foi mais rápida.
_São 16:15. Que horas ele vem te pegar mesmo?_Perguntou ainda olhando algo no celular.
_Ai meu Deus! Nós demoramos demais, ele já deve estar chegando._Peguei o vidro de perfume que estava em cima da minha cama e passei.
_Então vamos para a sala. E fique tranqüila, se você chegar e eu não estiver em casa, é por que estou no shopping comprando algumas coisas.
_OK._Nós estávamos descendo a escada quando a campainha tocou. Sel me olhou e me abraçou sussurrando um “Boa Sorte” em meu ouvido, logo depois voltou para o andar de cima. Eu estava muito nervosa, então respirei fundo e abri a porta. Como ele estava lindo...

Joe “ON”

Depois de preparar uma cesta com alguns sanduiches, doce e sucos, decidi ir me arrumar. Tomei um banho rápido, já que me restava pouco tempo para isso. Coloquei outra bermuda jeans, uma camiseta branca e um tênis.  Dei uma ultima olhada no espelho e desci, passando pela cozinha para pegar a cesta e logo entrando no carro e indo em direção a casa de Demi. Quando cheguei lá, o porteiro logo me deixou entrar. Parei em frente a sua casa e toquei a campainha. Quando ela abriu fiquei boquiaberto com o que estava vendo. Ela estava surpreendentemente linda, muito diferente da Demi do colégio.  Fiquei paralisado por alguns segundos admirando sua beleza desconhecida, mas logo fui retirado do meu transe.
_Oi._Falou envergonhada.
_Oi pequena._Sorri ao chamá-la assim._Podemos ir?
_Claro._Ela fechou a porta atrás de si e me seguiu até meu carro. Fui gentil e abri a porta para ela, e depois entrei no banco do motorista. Já estávamos a caminho do parque, mas ambos estavam calados.
_Joe?_Ela me chamou sem me encarar, olhando para a vista da janela do seu lado.
_Sim?_Também não a olhei.
_Por que decidiu me chamar para sair?_Ela ainda não me olhava.
_Eu não sei, hoje acordei com vontade de ir a um lugar tranqüilo, e logo pensei em te levar comigo._Menti para ela. Apesar de realmente estar gostando da idéia de passear com ela, não foi bem esse o motivo de tê-la chamado para vir comigo. Olhei para ela, e a mesma apenas sorriu. O restante do caminho seguimos em silêncio.
_Chegamos!_Disse estacionando o carro.
_Aqui parece ser lindo._Falou enquanto olhava a paisagem que estava por vir.
_Sim, é maravilhoso._Desci do carro e fui abrir a porta para ela, logo pegando a cesta no bando de traz. _Vem..._Disse andando na frente. Ela me seguiu e logo chegamos onde queria, na minha parte preferida do parque. Estendi a toalha debaixo da arvore que batizava como minha desde criança, ela ficava perto do lago, e distante da maioria das coisas. O lugar parecia ter sido feito pra mim.
_Aqui é perfeito! Como descobriu essa parte do parque?_Ela agora estava sentada me vendo tirar algumas coisas da cesta.
_Eu costumava vim a esse parque com meu pai quando era menor, certo dia eu me perdi dele, e acabei achando esse lugar. Desde então venho aqui quando preciso pensar, ou até mesmo quando quero apenas sentir a natureza.
_Por que decidiu me trazer aqui?_Ela me olhava.
                _Eu não sei... mas me promete que não irá mostrá-lo para ninguém? Eu quero que continue sendo o meu lugar, quero dizer, agora ele é o nosso lugar. Aqui será um ótimo consolo quando estiver triste!_Disse a olhando. Na verdade eu realmente não sabia o porquê estava compartilhando isso, mas eu  estava curtindo estar ali, me sentia melhor com ela ao meu lado. No fundo, sabia que ela também precisava de um ligar daquele para desabafar, como precisei nos últimos anos.
_Seu segredo estará bem guardado comigo._Sorria amigavelmente.
_Obrigada. Bom, eu fiz alguns sanduiches, você gosta?
_Gosto sim!
_Esse aqui é minha especialidade, patê de atum. _Disse enquanto lhe dava um. Ela assentiu e logo começamos a comer.
_Realmente é muito bom._Disse dando outra mordida no sanduiche em suas mãos. Quando terminamos, partimos logo para a sobremesa, minha parte preferida!
_Que doce maravilhosos é esse?_Me perguntou saboreando mais uma colher  do doce.
_Chama-se  brigadeiro, e é uma receita típica do Brasil. Minha avó que aprendeu como uma amiga brasileira, e sempre fazia para mim enquanto era viva._Expliquei a ela.
_Me desculpe, não queria chegar a esse assunto._Ela abaixou a cabeça.
_Demi?_A chamei._Olhe para mim._Pedi. No mesmo momento ela ergueu sua cabeça para me olhar._Não se preocupe, eu que falei e isso não é nada de mais. Não fique assim, se ficar eu vou lhe fazer cosquinha para te alegrar._Nesse momento vi ela dar um de seus sorrisos lindos, e o melhor era que esse sorriso era para mim.
_Você não é nem louco de me fazer cosquinha._Ela ria mais ainda.
_Ah não é? Vem aqui que você vai ver então._Eu levantei e fui em direção a ela, mas a mesma saiu correndo. Nós parecíamos duas crianças correndo pelo parque, até que a peguei, mas como estávamos correndo rápido demais, me desequilibrei e acabei caindo por cima dela. Naquele momento pude olhar no fundo de seus olhos, sentir sua respiração, e não sei o que deu em mim que instantes depois eu já estava com meus lábios colados ao dela dando-lhe um selinho.


Continua...

Créditos ao blog: http://fic-jemi.blogspot.com.br

4 comentários:

  1. PRIMEIRAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA U-U

    AAAAAAH ESTRA PERFEITO AMOUR , POSTA LOGO , POR FAVOR NÃO DEMORA PARA POSTAR , POIS EU ESTOU AMANDO SUA FIC , ESTA MARAVILHOSA U-U
    POSTA LOGO AMOR PORFAVOR ♥
    POSTA POSTA POSTA POR FAVOR ♥

    XOXO . .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem bom que gosta. Fico feliz por isso...
      Postado.

      Excluir
  2. lindo super demais posta logo to morrendo aqui para saber o que vai acontecer




    de shirley

    ResponderExcluir