terça-feira, 2 de outubro de 2012

Fiz sexo com uma Nerd - Parte 9 - Final


Joseph, 
Quando você ler esta carta eu já não vou estar por perto. Tudo isso foi um acordo pra nós dois, e nesse acordo dizia que, até que os primeiros raios de sol adentrassem por seu quarto, a noite seria inteiramente nossa. Dos dois. Esse acordo foi cumprido e eu tive que fazer minha parte. Por isso que você está lendo essa carta agora. Eu não estou do seu lado. Eu não vou incomodar você no colégio ou em qualquer outro lugar. Não como você pode esperar. Eu vou continuar sendo a mesma nerd e você o popular. Essa é sua máscara. E você precisa dela. As coisas não precisam mudar.
Eu espero que você tenha percebido o quão sinceros foram os meus “Eu te amo” e que nunca se esqueça de que você merece ser amado. O seu passado não o pode perseguir pra sempre. Você até pode achar bobagem tudo o que estou escrevendo, mas eu sei que daqui a um tempo você vai lembrar. Eu realmente desejo o melhor pra você. Você merece o melhor. Não é por pena e nem por compaixão. É porque eu sei quem você realmente é. 
Eu queria te agradecer por tudo o que fez por mim na noite passada. Eu perdoei você, e por isso posso esquecer o passado. Mas uma das coisas que eu sei que não vou conseguir esquecer: é essa noite. Obrigado por ser comigo o que não costuma ser com outras garotas. Obrigado por me tratar e me fazer sentir bem em cada momento. Obrigada por confiar em mim e se abrir como nunca se abriu pra ninguém. Você me fez sentir especial como jamais alguém fez e eu sou agradecida por isso.
Obrigado por todo o carinho, ternura e paciência.Obrigado por quebrar as regras.E obrigado por ser você mesmo comigo.Seu segredo está seguro comigo.Posso arriscar dizer?Eu te amo. 
Demetria.
P.S: Se quiser suas roupas de volta, sabe onde me procurar. Se eu puder realmente ficar com elas, apenas deixe. Elas têm seu cheiro.

Analisei a folha em minhas mãos. Duas pequenas manchas circulares no final da folha, eram a prova de que Demi tinha chorado ao escrever o bilhete. Isso mostra que ela se importou em ter ido embora. Ela queria ficar. Eu não sabia como definir o que eu estava sentindo naquele momento. Sentia tudo vindo à minha cabeça e ao meu coração ao mesmo tempo e me impossibilitando de respirar. Eu pensei que quando a noite passada acabasse tudo voltaria a ser o que era antes. Pensei que qualquer tipo de sentimento positivo que eu ganhei por Demi iría desaparecer. Estava totalmente enganando. Eu ainda sentia o cheiro dela no ar, nos lençois, na almofada e em meu corpo.

Percorri os olhos pelo quarto. Não parecia mais o mesmo de antes. Não com o cheiro dela pelo ar. Olhei para o meu lado direito e vi o travesseiro em que Demi deitou. Peguei nele e inalei seu cheiro. Era como uma droga que me dopava. Eu gostava do efeito e esse era o problema. Eu não podia gostar. Nada deveria mudar. Um nó se formou na minha garganta. Minha vida mudou mais numa noite do que alguma vez imaginei que fosse possível mudar. Eu não sabia o que fazer. Eu estava perdido e confuso.

Apertei o travesseiro contra meu peito e fixei meus olhos no lençol. A pequena mancha de sangue estava lá. A pureza de Demi foi roubada por mim e aquela era a prova. Não era justo eu ter roubado tudo dela e me ter aproveitado disso para puro prazer carnal. Memórias me atingiram tão rápido como uma bala, e doeu.

Flashback On

__Porque me puxou para o armário do zelador?

__Porque eu tinha que falar com você.

__E não podiamos falar lá fora como pessoas normais?

__Eu queria um pouco mais de privacidade com você.

__Ah, você cansou de me zoar em público e resolveu fazer isso no armário do zelador. É isso?

__Eu não vou mais zoar você Demi. Já chega disso.

(...)

__Desejo concedido. Você me tem por esta noite Lovato. Mas espero que saiba que é apenas esta noite. Tudo irá continuar como antes. Você a nerd zoada e eu o popular.

(...)

__Você é bonita Lovato.

__Não precisa mentir. Eu sei sua opinião sobre mim.

__Não estou mentindo. Você é bonita. (...) Eu só não enxerguei isso antes.

(...)

__Não, eu não estou mentindo. (...) Eu quero beijar você Demetria. Eu desejo você. Eu quero você na minha cama. Eu quero você comigo esta noite.

(...)

__Não esta noite Demetria. Esta noite você é minha. Minha garota.

(...)

__Eu estou longe da perfeição Joe. Sou só uma nerd. Eu sei que não sou tão bonita como as outras garotas. E mesmo se fosse, eu não sou vulgar. Não gosto de ser como as outras. Eu não sou de seguir modinha.

(...)

__Quem você acha que eu sou?

__Eu… eu acho que o Joseph que conhecemos não é apenas ‘isso’. Acho que você tem muito mais a mostrar ás pessoas. Coisas boas. Acho que você é uma pessoa especial que precisa ser amada. Você merece ser amado por alguém verdadeiro. Alguém que saiba cuidar de você de maneira certa. Merece ter uma vida ótima. (...) Você merece ter alguém do seu lado que possa dizer ‘Eu te amo’, sem que isso seja uma mentira.

(...)

__Fica.

__Até ao sol nascer?

__Até o sol nascer. Eu… eu quero você aqui comigo.

(...)

__Eu te amo.

(...)

__Você não cansa?

__(...) Pra você nunca Demi.

__Então venha.

(...)

__Você pode dizer de novo aquelas três palavrinhas pra mim?

__Eu te amo Joseph.

Flashback Off

Eu não sabia que iria doer tanto. Eu nem sabia que iria doer. Eu queria-a comigo. Pra me dar paz e carinho. Queria-a comigo para dizer que me ama. Mas eu não posso. Não posso prendê-la comigo e não posso mudar a minha vida por causa dela. Não sem amá-la. Eu não a amava e não podia fazer nada quanto a isso. Eu não queria fazer nada.

Fechei os olhos e inalei o cheiro dela novamente. Eu teria que me livrar disso. Quando abri meus olhos e olhei novamente a mancha de sangue é que lembrei de algo que eu definitivamente não devia ter esquecido. Três vezes eu fiz amor com ela e três vezes a penetrei. Três vezes sem preservativo. Se o nó em minha garganta era grande antes, eu podia engasgar agora. Pânico. Era o meu estado. Eu não podia ter esquecido. Eu não podia! Eu não posso ser pai. Não agora. Pior que isso, eu não devia ter feito isso com ela! Não é justo pra ela. Ela só tem 17 anos. O que eu fui fazer?

Lágrimas já caiam constantemente pelo meu rosto. Não sei como, mas no meio de toda a confusão em minha cabeça, sorri brevemente com a ideia de ser pai. Eu não sabia se ficava feliz com a possibilidade de ser pai, ou se entrava ainda mais em pânico. Eu não conseguia pensar claramente agora. Agora eu só queria esquecer. Levantei da cama para ir até ao banheiro fazer minha higiene matinal quando vi um livro aberto no chão. Inclinei-me para apanhá-lo do chão e vi em que página ele estava aberto. Anatomia. Ri comigo mesmo em meio das lágrimas da minha safadisse na noite passada, mas aí vi que deviam estar muito mais coisas no chão. Olhei a mesa onde fiz amor com Demi. NÃO! Eu fiz sexo com ela, não amor.

Livros e cadernos estavam lá empilhados com o estojo por cima. Demi deve ter arrumado antes de sair e não ter visto aquele livro. Passei minha mão levemente pela mesa enquanto me lembrava de como lhe dei prazer ali. Demi se contorcendo de prazer, gemendo em meu ouvido e fazendo carinho em mim, me beijando enquanto eu investia nela. Lembrei-me dos orgasmos violentos que ela me proporcionou, que ambos tivemos e de cada vez que ela ficava mole em meus braços. Eu queria-a em meus braços novamente. Senti um calor conhecido tomar conta do meu corpo ao imaginá-la em meus braços de novo. Eu tinha que tirá-la da cabeça. Tinha que esquecer tudo isso.

Entrei no banheiro e fiz minha higiene matinal. Um banho gelado era o que eu precisava. E mais uma vez, memórias de como fiz amor com Demi naquele box invadiram minha mente. A maneira como nós nos tocavamos e gemiamos o nome um do outro era impossivel de esquecer. Mas eu tinha que esquecer. Tinha que esquecer seu cheiro, seus olhos, seu sorriso, seu corpo, sua voz gemendo meu nome e principalmente, esquecer tudo o que ela causava em mim. Eu tinha que tirá-la da minha cabeça.

Saí do banheiro com uma toalha enrolada na cintura enquanto que com outra limpava os cabelos. Olhei para a porta e me perguntei se Denise haveria chegado. Vi um sutiã no chão. Apenhei-o e constatei que era de Demi. Sorri. Branco com ursinhos azuis. Só podia ser de Demi. A questão é porque ela se esquecera dele? Guardei o sutiã em minha gaveta. Era o único sutiã que eu iria guardar. É claro que eu já fiquei com um sutiã ou calcinha de outra garota, mas sempre arranjei maneira de me livrar deles um tempo depois. Esse sutiã não iria ter o mesmo destino. Ouvi meu celular tocando. Nicholas.

Ligação On

Joe: Alô?
Nick: Vamos sair. Tem festa na balada hoje. Não pode faltar cara.
Joe: Que horas?
Nick: 22h.
Joe: Ta certo. Passa por minha casa?
Nick: Passo sim. Pelo seu tom de voz, acho que alguém hoje não quer voltar pra casa dirigindo.
Joe: Não quero mesmo. Até mais tarde.
Nick: Até.

Ligação Off

(...)

Acordei confuso. Não estava no meu quarto e não fazia ideia do que eu tinha feito na noite passada. Uma dor aguda atingiu minha cabeça. Parecia que minha cabeça ia explodir. Ressaca.

__Finalmente acordou. Pensei que tivesse morrido.__era Nicholas.

__Onde é que eu estou? O que houve na noite passada?__perguntei me sentando na cama. Nick estava sentado num puf brincando com uma bola de basquetball.

__Onde você acha? Trouxe você pra minha casa. Não ia deixar você na rua.__disse num tom mais sério do que eu esperava.__Tem um copo de água e um comprimido para a ressaca na mesa de cabeceira.

__Obrigado.__tomei o comprimido e voltei a sentar na cama. Minha cabeça rodava.

__O que você tem pra me contar Joseph?__perguntou Nick sério.

__Como assim?__eu não entendia. O que eu tinha feito?__Não estou entendendo.

__Você apanhou o maior porre da sua vida. Eu nunca vi você tão bêbado Joseph! O que você estava tentando esquecer hein? Ou devia dizer: quem você estava tentando esqecer?

Olhei pra ele confuso. Eu cada vez entendia menos.

__Você falou demais na noite passada. Posso dizer tudo o que me falou em simples palavras. Quer?__ele nem me deixou responder. Eu já estava com medo do quer que eu tenha falado. Eu não lembrava.__Explicações, Denise, seu pai, sexo e Demetria. Chega pra você?

Eu não estava acreditando. Bastou eu apanhar o maior porre da minha vida para contar tudo o que eu estava tentando esconder. Vi Nick tirar um papel do bolso. Parecia uma… carta.

__Uma carta da Demetria Joseph. Você andava envolvido com ela e não me contou? Qual é? Sou seu melhor amigo. Você comeu a nerd? Em troca de quê?

__Não fala assim dela!__disse irritado. Que se foda, já tinha quebrado todas as regras mesmo!

__Agora você a defende?__perguntou indignado.__Olha Joseph, eu sou seu melhor amigo e você sabe que pode contar comigo para o que precisar. Mas eu não entendo. Na noite passada você agiu como um idiota apaixonado. Você teve uma loira com o maior peitão e o maior bundão comendo na sua mão e não fez nada. Sterling começou a zuar com a Lovato e você assim que ouviu queria ir socar a cara dele. Sorte sua que eu tirei você de lá antes que ele se desse conta.__aos poucos a memória ia voltando. Eu me lembro da loira dando em cima de mim enquanto eu estava no bar bebendo minha vodka. Lembro-me do Sterling contando seus planos para mexer com Demi e me lembro do Nick me arrastando pra fora da boate.


__Ainda não acabou. Você quase me socou para poder dirigir, mas como eu não queria morrer, empurrei você pra dentro do carro e entrei no lugar do motorista. Você estava tão insuportável pedindo para eu te levar num endereço que eu acabei levando. Onde era? Casa da Lovato.__arregalei os olhos. Eu fiz o quê?__Sim, a gente foi até lá. Você não parava de falar nela e eu já estava me estressando. Como eu vi que você ia fazer merda, peguei em você, não literalmente, e fomos para sua casa. A primeira coisa que você fez quando chegou ao seu quarto foi sentar-se na cama e agarrar-se ao travesseiro. Você não o largou mais, ficou cheirando e sorrindo feito idiota. Vi você pegar nessa carta__disse abanando o papel no ar.__e depois deu crise e começou a chorar. Depois começou a falar coisas sem noção e tudo embrulhado. Como eu achei que dona Denise não ia gostar de ter ver assim, trouxe você cá pra casa. Acredito que esse seja o travesseiro em que Demi dormiu. Deve ter o cheiro dela. Você dormiu lindamente quando aterrou na minha cama. Tive que dormir no sofá.

Eu não quero imaginar minha cara quando ele acabou de contar tudo isso. Minha vontade era de rir, chorar e socar Nick ao mesmo tempo. Rir do que o fiz passar, chorar por não conseguir esquecê-la nem bêbado e socar Nick por não me ter deixado espancar Sterling.

__Joe, está na hora de me contar a verdade.__disse por fim.

Não valia a pena continuar escondendo. Eu confiava em Nick o suficiente para que ele soubesse de tudo. Contei tudo. Desde os problemas com Denise até a noite que passei com Demi. Por muito estranho que pareça pra ele, não contei os detalhes dessa noite.

__Eu não acredito que você escondeu tudo isso de mim cara. Qual é! Você pensava que eu ia julgar você?__perguntou me olhando.

__Você não entende Nick. Eu não queria contar isso pra ninguém. É uma coisa de familia. Ninguém precisava saber.__expliquei. Eu referia-me a Denise e não a Demi.

__Eu entendo, mas você não precisava aguentar tudo isso sózinho. E porque é que contou isso para Demi e não pra mim? Quer dizer, a nerd? Sério? Cara eu sou seu melhor amigo!__eu não entendia até agora também.

__Eu também não sei está bom? Eu apenas senti que podia confiar nela. Você não sabe como ela me fez sentir.__tentei explicar.__Eu não sei por que me senti assim com ela, mas eu… apenas senti.

__Como ela fez você se sentir?__perguntou sorrindo. Não era um sorriso presunçoso. Era sincero.

__Fez-me sentir em paz no meio de toda essa confusão. Deu-me carinho como ninguém me deu antes. E cada vez que nos beijavamos, eu sentia coisas por meu corpo. Era bom. Mas eu não sei Nick. Ela é diferente de todas as garotas que eu já fiquei. Ela fez-me ter os melhores orgasmos da minha vida!__disse safado. Nick gargalhou.__É sério. Ela é perfeita Nick. Os cabelos, o cheiro, o corpo, os beijos… tudo!

__Mas ela já tinha alguma experiência?

__Não.__sorri bobo.__Eu fui o primeiro dela. Em… tudo.

__O quê? Você chegou nela, deram uns beijinhos, tirou a virgindade e mandou-a embora?__perguntou não percebendo.

__Não. Eu a ensinei a beijar. Ela estava muita timida, mas cada vez que me tocava parecia que meu corpo levava choques e pegava fogo. Era uma sensação muito boa. E eu nós não demos uns beijinhos, tava mais pra beijões. E eu fiz amor com ela três vezes cara. Ela teve quatro orgasmos. Isso me deixou satisfeito.__disse sorrindo orgulhoso.__E diferente de todas as outras garotas, ela dormiu o resto da noite em meus braços.

__Você está apaixonado por ela.__disse por fim.

__Não estou Nick.__neguei.

__Sim você está. Acabou de dizer que fez amor com ela e não “sexo”. Dá pra ver que essa é a maneira como você vê as coisas. Mesmo que não queira. Não foi apenas mais uma noite pra você cara. Não foi só mais uma garota. Foi A garota que superou todas as outras. Eu sei que ela é nerd e que você, na verdade, nós sempre zuamos com a cara dela, mas se ela te fez sentir como nunca ninguém fez… cara, não seja burro. Não deixa isso fugir de você.

__Eu não sei o que é estar apaixonado Nick. Eu senti coisas diferentes com a Demetria sim, mas eu não sei o que é sentir amor por alguém. Eu não sei se quer o que é amor. E mesmo que eu estivesse realmente apaixonado por ela, eu não podia. Eu tenho uma reputação cara. Eu preciso dessa reputação.

__Acha mesmo que vale a pena perder a garota de quem você gosta para uma estúpida reputação?__perguntou sério.

__Desde quando liga pra isso?__eu não entendia essa mudança repentina sobre a Demi.

__Joe, nós somos melhores amigos desde crianças. Sempre partilhá-mos os bons e os maus momentos juntos e eu posso dizer que nunca vi você assim.

__Assim como?

__Com o maior sorriso que eu já vi no seu rosto. Desde sempre! Foi Demi quem fez você ter esse sorriso idiota no rosto. Se ela fez isso com meu melhor amigo, então eu gosto dela. E eu não acho que se deva importar com reputações agora. Falta um mês certinho para o final do ano letivo. Você só tem mais quatro semanas com Demi. Você sabe que pode não voltar a vê-la depois disso.

Fiquei feliz com as palavras de Nick e ao mesmo tempo irritado por ele me lembrar de que faltavam apenas quatro semanas para acabar as aulas. Eu sabia que podia contar com ele. Apesar de não mudar nada. Eu não iria mudar nada.

__É bom saber que tenho você do meu lado. Mas as coisas não irão mudar só porque fiz amor com Demi. Eu acho…__disse me lembrando de que podia vir a ser pai. Passei as mãos no rosto e suspirei alto. Eu não sabia o que fazer.

__Tem alguma coisa pra me contar Joseph?__perguntou olhando pra mim confuso.

__Errr, eu…__eu não sabia como dizer pra ele que ele podia vir a ser “tio”. Droga!__Quando eu e Demi… err… quando nós fizemos…__eu não estava conseguindo falar. Que droga está acontecendo comigo?

__Apenas fale Joseph. O que pode ser tão grave assim?__disse tentando aliviar a tensão. Não resultou.

__Eu fiz amor com ela três vezes e nessas três vezes, eu… eu não usei camisinha.__disse por fim. A cara de assustado do Nick disse tudo. Levantei-me rápido da cama esquecendo a dor de cabeça e fui até à janela no quarto de Nicholas. Eu estava perdido.__Eu sei que fiz burrada ok? Eu não sei o que me deu. Eu nunca na vida esqueci a merda da camisinha. Nem quando estou caindo de bêbado. Aí vem a Lovato que me deixa louco e eu faço o que pode vir a ser a maior burrada da minha vida!

__Calma Joe. Você não sabe se ela está realmente grávida. Relaxa, ela pode nem ficar. E se ficar, nem deve ser tão mau assim. Ela tem 17 e você 18. Já não são mais crianças.__disse tentando amenizar a situação.

__Eu sei Nick, o problema não é a idade.__comecei a andar de um lado para o outro completamente desesperado. Eu não sabia o que fazer, então botei tudo pra fora.__O problema é que eu posso ter estragado a vida dela. Você acha que ela quer um filho agora? Ainda por cima meu? Eu zuei ela durante anos Nick! Eu fiz dela meu brinquedinho de diversão e mesmo assim ela me perdoou por tudo o que eu fiz a ela. Você acha que ela quer ter um filho meu? Eu sou um traste! Já pra não falar que ela deve querer ir para a faculdade. Um filho não permitiria que ela o fizesse. E eu… eu sou Joseph Jonas. Como posso ter um filho? Como posso criar um? E Denise? O que ela vai achar disso? Não que me importe muito, mas muita coisa iria mudar. Imagina a Demi na escola e grávida sendo zuada pelo Sterling e os amiguinhos dele. Você sabe que ás vezes eles chegam à violência fisíca. Se Demi estiver grávida eu vou proteger ela de tudo. Eles nunca irão fazer mal ao meu filho. Eu não sei o que fazer Nicholas. Eu estou ficando doido.

Eu estava completamente desesperado. Nicholas sorria pra mim feito um imbecil. Sério? EU ESTOU, POSSIVELMENTE, PRESTES A SER PAI E ELE FICA CALMO? Odeio ele! Alguém me ajuda? Foi preciso dar uma encarada nele para ele se pronunciar.

__Relaxa cara. Eu entendo você. Quer dizer, eu nunca passei por isso, mas imagino a aflição que você deve estar passando. Primeiro, eu acho que você devia falar com a Demi sobre isso, ela pode…__cortei ele na hora. Sem essa de falar com a Demi.

__Eu não vou falar com ela sobre isso Nicholas. Nós tinhamos um acordo. Depois que aquela noite acabasse tudo voltaria a ser como antes. Isso inclui não falar com ela.

__E como você vai saber se ela está mesmo grávida? Vai esperar até a barriga aparecer? VOCÊ SÓ TEM MAIS UM MÊS DE AULA JOSEPH! Não me diga que vai esperar ela vir até você e dizer: sabe Joseph, você não usou camisinha comigo, e estou grávida! Acorda Joe. Se ela estiver grávida ainda vai demorar uns dias para ela perceber. Até lá Sterling tem caminho livre para o que quiser.  Mesmo que você a observe de longe, você não vai estar 24 horas do dia perto dela. Como você vai fazer?

Eu sabia que Nick tinha razão, mas eu não podia falar com Demi.

__Nick, você tem razão, mas eu não sei o que fazer. Eu não sei nem como olhar pra cara dela amanhã. Eu… estou com medo.__assumi. Eu estava de mãos atadas. Eu odiava a sensação. Nicholas largou a bola que tinha em mãos e veio até mim. Entregou-me a carta de Demi.

__Você está completamente apaixonado por essa garota. Você próprio pode não ver ou admitir, mas está. E eu conheço você. Sei que lá no fundo, por trás de todo esse pânico, está feliz com a possibilidade de ser pai. Eu sei que o medo pode ser mais forte agora e você pode não notar isso, mas você já ama um filho seu que você ainda não tem certeza que existe.__olhei pra ele confuso. Como eu vou amar alguém que não existe? Nick riu… da minha cara.__A maneira como você falou que iria proteger seu “filho” e Demi é a mesma coisa que você dizendo: eu amo eles e eles são minha vida.__sorri automaticamente ao ouvir isso. Eu acho que estava apaixonado mesmo.__Joeph, admite logo que você está apaixonado por ela cara.

__Se tudo isso que você diz é parte de estar apaixonado, então eu acho que estou sim.__sorri de canto.__Mas eu não posso fazer nada. Pelo menos ainda não. Eu não sei o que fazer. Não quero assustá-la. Se ela descobrir que está grávida já vai ficar assustada o suficiente.

__Cara, você não está sozinho nessa. Você sabe que pode contar comigo para o que for preciso. Eu não sei o que você vai decidir, mas você precisa pensar nisso e precisa pensar bem.__disse Nick dando tapinhas em meu ombro.__Até que a ideia de ser tio me parece muito boa.__sorri.__Somos como irmãos, certo?

__Certo.__disse e nos abraçámos. Nicholas era com certeza o melhor amigo do mundo.

(…)

O dia seguinte chegou e eu estava nervoso. Muito nervoso. Era a primeira vez que ia encarar Demi depois daquela noite. Eu decidi o que ia fazer por agora. Iria tentar chegar ao colégio antes de Demi e sair depois dela. Iria olhar por ela de longe nos intervalos e contava com a ajuda de Nick nisso. Era a única maneira de observá-la à distância. Se Sterling mexe-se com ela eu estaria perto no caso de isso se agravar. Fingir que ríamos do que Sterling fazia seria uma maneira de estar perto. Sim, Nicholas também. Eu tinha algumas aulas com Demi e Nick tinha outras. Isso iría ajudar bastante. Eu não iría falar com ela agora. Vou esperar pra ver o que acontece. Pesquisei algumas coisas sobre gravidez e principalmente alguns síntomas. Isso iría ajudar muito.

__E aí cara?__disse Nick me cumprimentando.__Ela já chegou?

__Não. Nem sinal.__disse bufando enquanto Nick se sentava ao meu lado no banco que ficava virado para a portaria.

Distraí-me do assunto principal e comecei a falar de assuntos aleatórios com Nick até que a vi entrando no colégio. Jeans justo, mas não apertado, all star preto, camisa branca, casaco de malha preto, rabo de cavalo, óculos e um monte de livros na mão quase caíndo. Era minha Demi. A mãe de meu filho. Tudo bem, eu ainda não sabia se ela estava grávida, mas por um lado eu tinha esperança que sim. Ela deixou um livro cair no chão e eu tive que me controlar para não levantar do banco onde estava e ir ajudá-la. Demi se abaixou e pegou o livro. Ajeitou-o em seus braços novamente e concertou os óculos.

Ao por-se de pé, ela olhou diretamente para onde eu estava sentado. Nick parecia ter evaporado. Seus olhos encontraram os meus e ela ficou estática. Fiz força com minhas mãos no banco para me segurar e não ir até ela. Vi-a morder o lábio levemente e isso só me deu vontade de chegar perto dela e beijá-la como nunca beijei antes. Demi quebrou o contacto com o olhar e olhou o chão. Sorriu de canto e seguiu seu caminho para uma das salas ou biblioteca. Deixei de fazer força com minhas mãos no banco quando a perdi de vista. Eu ia ficar louco.

__Joe, você precisa ter cuidado com essas trocas de olhares. Estamos no pátio da escola, tem sorte que ninguém reparou e que Sterling ainda não chegou.

__Tudo bem. Não se preocupa.__tranquilizei-o.

O resto da manhã foi normal. Sempre observei Demi de longe. Nas aulas que eu tinha com ela, ela era a mesma de sempre. Fazia os exercícios pedidos e respondia ás perguntas do professor. No corredor era empurrada contra os armários, ás vezes com uma violência que causava um barulho enorme no corredor e me fazia aquecer de raiva. Raiva essa que só Nick fazia acalmar. Só saí do colégio depois que a vi entrar no carro com Pierre, direta pra casa. Segura.

Nos dias seguintes foram assim. Eu continuava me dando com Sterling que mexia com Demi  todos os dias, apenas disfarçando. Eu mal via a hora de ter a oportunidade de partir a cara dele. Eu precisava fingir. Por agora. Demi e eu praticamente não trocámos mais olhares e isso meio que me machucava. Eu sentia cada vez mais a falta dela. Queria-a junto a mim e tê-la tão perto e ao mesmo tempo tão longe, estava me matando. Eu amava Demi.

Uma semana passou e agora faltavam três semanas para o final do ano letivo. Essa era semana de provas o que significa que Demi não ia sair da biblioteca. Isso iria dar oportunidade a mim e a Nicholas de estudar para as provas também. Queriamos passar de ano certo? Isso também iría ocupar Sterling. O baile de final de ano estava sendo organizado e isso seria mais uma ajuda para manter todos ocupados.

As provas acabaram e faltavam apenas duas semanas para acabar o ano letivo. Foi na segunda-feira que as coisas mudaram. Demi mudou. Quando cheguei ao colégio com Nicholas de manhã, Demi ainda não tinha chegado. Ficamos no mesmo banco de sempre esperando que ela chegasse e quando a vi chegar não sabia se devia gostar do que via ou não. Demi tinha uma aparência cansada. De quem não tinha dormido. Parecia doente. Estava pálida e parecia meio enjoada. Sua expressão era assustada. Seus olhos mostravam isso. Estava contando algo pelos dedos distraída. Algo que eu acredito serem os dias de atraso na menstruação que ela possa ter. Desta vez não trazia os livros nos braços. Olhei para Nick que me deu um olhar de quem tinha percebido tudo o que eu percebi.

Tinham passado duas semanas desde que Demi e eu nos envolvemos. Se ela estivesse realmente grávida os sintomas apareceriam mais tarde ou mais cedo. Demi sabia que eu estava sentado no banco de sempre e evitou a todo o custo olhar pra onde eu estava.

__Joe, você tem que…__Nick começou.

__Eu sei. Vou esperar ela fazer o teste. Deu pra ver que ela estava assustada. Ela ainda não tem certeza.

__Como você sabe?

__Ela parecia estar fazendo contas pelos dedos. Não é preciso ser muito inteligente para perceber o que ela devia estar pensando.

__Você tem razão.__concordou.__Vamos esperar.

E foi o que eu fiz. No dia seguinte Demi tinha a primeira aula junto com Nick e a segunda junto comigo. Nick me avisou por mensagem que ela faltou na primeira. Fiquei nervoso. Não sei se ela tinha feito teste. Não sabia por que ela tinha faltado e principalmente, se Sterling era o motivo de ela ter faltado. Quando o primeiro tempo terminou, saí correndo da sala e corri quase todo o colégio à procura dela. Eu nem sabia se ela estava no colégio, mas eu já não aguentava mais. Estava nervoso e com medo. O quer que tenha havido, eu queria saber. Fui até à parte de trás do prédio e vi Sterling, Ashley e duas de suas amigas. Não havia mais ninguém por perto, perfeito para praticar bullying. Eles tinham algo nas mãos. Só estavam eles numa espécie de roda e quando eu ia avançar para ir até eles, Nick aparece atrás de mim.

__Eu vou com você.__sorri.

Parei atrás deles e fiquei apenas escutando. Ouvi um choro e me desesperei. Infelizmente, eu sabia identificar aquele choro melhor que ninguém. Era Demetria. Já ia avançar quando Nick me segurou. Eles não nos viram.

__Sterling, acho que ainda não foi o suficiente para essa nerd aí. O que acha de terminarmos o ano em grande? Pode tirar a roupa dela.__perguntou Ashley com uma voz esganiçada. Sterling riu.

__Já era.__vi Sterling dar um passo à frente e se aproximar de Demi. Ela estava sentada no chão, com as pernas encolhidas junto ao corpo e a cara escondida em seus joelhos. Estava descabelada e suas roupas estavam todas escritas com o que parecia ser batom e tinta preta. Estava escrito coisas como: Looser, idiota, nerd, feia, gorda, horrivel, porca, vadia, rídicula, etc.

Ele puxou-a pelo braço para que se levantasse e lhe arrancou os óculos agressivamente atirando-os para o chão e esmagando-os. Não tive tempo de reagir. Tudo aconteceu rápido demais. Sterling segurou Demi pela cintura e ela se mostrou agressiva. Fechou os braços em frente ao ventre rápidamente e se curvou um pouco pra frente. Como se sentisse dor ou como se protegesse algo. Ashley deu-lhe um tapa forte na cara para que ela obedecesse e Demi começou a sangrar do lábio. Uma das amigas de Ashley lhe atirou um ovo que acertou na zona da barriga. Demi chorou mais ainda.

__Nick, segure Demi e veja se ela está bem.__não esperei que ele respondesse. Avancei.

Numa rapidez que eu desconhecia que eu próprio tinha, peguei Sterling pela gola da t-shirt que usava e lhe dei um soco na cara. O maldito retrucou e me socou também, mas isso não seria nem metada do que eu faria com ele. Eu estava capz de matá-lo. Dei um soco em seu maxilar o que o fez cair no chão. Eu nunca senti tanta raiva e nojo de uma pessoa como estava sentindo naquele momento. Descarreguei tudo o que eu sentia em Sterling. Sentei-me em cima dele no chão e dei vários socos seguidos até ele começar a sangrar em várias partes do rosto. Eu ouvia o choro de Demi e ouvia os pedidos dela e de Nicholas para que eu pará-se. Eu não conseguia. Eu queria que ele sentisse toda a dor que causou em Demi. Pus-me de pé e dei um pontapé em seu estômago. Ele se contorceu de dor. Dei outro, e outro, e outro. Vi que ele estava ficando meio inconsciente, mas acabei dando mais um. Senti Nicholas me agarrar pelos braços e tentar me afastar de Sterling que estava no chão gemendo de dor.

__NUNCA… NUNCA MAIS TOQUE NELA! NÃO SE ATREVA A TOCAR COM O QUER QUE SEJA OU COMO QUER QUE SEJA EM DEMI. ESTÁ ME OUVINDO?? NUNCA MAIS!!__eu parecia pocesso. Dei mais um pontapé em seu estômago e o vi cuspir sangue. Pensei em Demi e me lembrei do que ela fez pra proteger a barriga. Ela estava grávida, ou pelo menos podia pensar que estava. Minha violência só a iría assustar ainda mais.

Cuspi no rosto de Sterling e disse por fim.

__Você merece morrer com sua ignorância e sozinho! Nunca mais mexa com Demi. Mexa com quem você quiser. Mas não com ela. Nela você não toca mais.

Dei as costas pra ele e encontrei Demi lavada em lágrimas. Só estavamos lá eu, Nick, ela e a besta no chão. Ashley e suas cobaias deviam ter saído assim que nos viram. Demi estava abraçada com seus próprios braços e soluçava sem parar olhado o chão. Eu estava estático. Não conseguia me mover. Pude perceber Nick tirar Sterling dali e deixar eu e Demi sózinhos. Olhei o estado dela e um enorme nó se formou em minha garganta. Meus olhos lacrimejaram e, diferente das outras vezes, deixei as lágrimas escorrerem livremente. Aproximei-me dela devagar. Quanto mais eu me aproximava mais ela se encolhia. Ela estava cheia de medo. A culpa era minha por deixar isso acontecer.

__De… Demi.__chamei. Minha voz saiu trémula por causa do choro. Isso fez com que ela me olhasse. Aproximei meu corpo do dela, deixando-os quase colados. Levei minhas mãos ao seu rosto e limpei suas lágrimas com carinho. Ela suspirou e nossas respirações de misturaram. Aproximei mais meu rosto do dela e lhe dei um selinho molhado.__Me desculpa. Me desculpa ter deixado que fizessem isso com você. Me desculpa por não ter falado com você antes. Me desculpa por não ir atrás de você depois daquela noite. Me desculpa por não ter admitido pra mim mesmo que te amo e que sou completamente apaixonado por você.

Percebi que ela susteu a respiração. Ela tinha parado de chorar e agora me olhava assustada pelo que eu tinha dito.

__Vo… você o quê?__perguntou estática.

Eu já tinha parado de chorar. Era hora de botar pra fora o que me estava sofucando. Olhei bem em seus olhos.

__Eu te amo.__falei sorrindo.

__Você me ama?__perguntou sorrindo levemente. Afirmei com a cabeça.

__Eu te amo Demetria.__repeti.__Eu estava dando em louco na manhã em que você foi embora. Eu acordei com aquela carta do lado e meio que me desesperei. Seu cheiro estava por todo o meu quarto e isso estava me enlouquecendo.  No sábado fui pra balada com Nicholas e apanhei o maior porre da minha vida só para tentar te tirar da minha cabeça. Nick disse que eu falei de você o tempo todo. Ele disse que eu estava tão insuportávelmente bêbado que o fiz ir até sua casa de madrugada. Como é óbvio, ele não me deixou cometer nenhuma loucura. No dia seguinte acordei no quarto dele com a maior ressaca da minha vida. Acabei contando tudo pra ele. Ele disse que eu estava apaixonado por você, mas eu não queria admitir.

Ela sorria enquanto eu falava. Vê-la sorrindo me fez sorrir também.

__O tempo passou e tudo o que eu sentia por você foi me sufocando. Carinho, saudade, desejo, paixão e… amor. Você me faz sentir como ninguém nunca fez e eu gosto disso. Eu gosto do que sinto com você. Eu sou completamente apaixonado por você Demetria Lovato.__disse por fim sorrindo bobo.

__Eu te amo Joseph.__disse fazendo carinho em meu lábio cortado.__Posso pedir uma coisa pra você?

__Tudo o que quiser amor.__disse colocando uma mexa solta do cabelo atrás da orelha.

__Nunca mais brigue. Por favor.__pediu.

__Acho que Sterling aprendeu a lição. Não vou mais brigar. Me perdoe por isso também.

__Está perdoado.__sorriu alegremente. Acariciei seu lábio que estava sagrando por conta do tapa de Ashley.

__Eu quero muito te beijar, mas agora vou cuidar de você. Eu nunca mais vou deixar alguém te machucar.

__Eu também quero te beijar,__disse corando envergonhada.__mas eu estou fedendo e estou horrivel não seria muito agradável.__disse Demi rindo. Ri junto com ela.

__Você é linda seja como for. Mas vem, vou levar você pra minha casa e vou cuidar de você.

Demi agarrou minha mão apertando forte e encostou a cabeça em meu ombro.

(…)

Demi estava deitada em meu peito enquanto eu afagava seus cabelos. Estavamos os dois no meu quarto e a casa estava silênciosa. Denise tinha saído para algum lugar que eu não sabia. Melhor assim. Demi estava vestida com uma camisola minha e com uma calça moletom que lhe dei depois que ela tomou banho. Perguntei se ela queria que eu lavasse as roupas: “Coloque no lixo. Essa tinta nunca mais sai.”, foi o que respondeu.

__Tem fome?__perguntei a ela. Se ela estivesse grávida deveria estar faminta.

__Sim.__respondeu.

__Vem comigo.__guiei-a pela casa até à cozinha.__O que quer comer?__perguntei abraçando-a por trás.__Pode pedir qualquer coisa.__beijei seu pescoço carinhosamente o que provocou cócegas nela.

__Tem chocolate em casa?__apenas murmurei um “hum hum”__Pode ser pizza de ananás?__estranhei o pedido depois da pergunta, mas assenti e peguei o telefone para ligar para a pizzaria.

(…)

__Como você consegue comer pizza de ananás com chocolate cobrindo e doritos ao mesmo tempo?__perguntei. Eu devia estar fazendo uma careta engraçada porque Demi riu. Eu hein! Aquele troço era esquisito.

__Não é assim tão mau. Além disso, me deu vontade.__disse colocando mais um dorito na boca.

Demi e eu estavamos no meio da sala. O nosso “almoço” estava na mesinha de centro e eu estava sentado no chão com um monte de almofadas à volta. Demi estava sentada de lado em meu colo com meus braços em volta de sua cintura. Ás vezes uma de minhas mãos fazia carinho em sua coxa. A tv estava ligada mas a gente nem estava dando atenção para o que estava passando. Eu tinha que falar com Demi algum dia sobre a possibilidade de ela estar grávida. Acho que agora seria a hora certa.

__Demi.__chamei a atenção dela que estava distraída colocando chocolate na próxima fatia.

__Sim.__disse me olhando e sorrindo. Minha mão estava em sua coxa e devagar adentrei sua camisola, colocando-a sobre seu ventre. Senti seu corpo estremecer. Vi seu sorriso desaparecer e seus olhos lacrimejarem. Era tudo o que eu precisava para ter a certeza.

__Me desculpa.__disse quase num murmurio.

__Vo… você sabe?__assenti positivamente. Uma lágrima escorreu por seu rosto.__Como?

__Desde a manhã em que você foi embora. Eu… eu não… as três vezes que nós… eu não usei camisinha. Eu sabia que você podia ficar grávida e por isso te vigiei de longe todo este tempo. Nicholas me ajudou quando eu não podia olhar por você. Eu… me desculpe. Eu sei que você quer ir para uma faculdade e com um filho…__fui interrompido pela pessoa que eu menos desejava.

__Ela vai abortar.__disse fria sem o minímo cuidado. Senti Demi estremecer, dessa vez de medo. Eu sabia. Ela agarrou meu braço com força. Fez com que meus braços envolvessem seu ventre como uma armadura. Ela estava querendo proteger meu filho. Nosso filho. Denise não parou.__Ela não pode ter esse feto. Ela só tem 17 anos e você só tem 18, Joseph. Não têm condições nem responsabilidade para serem pais de alguém. Ela não sabe ser mãe. Tem que matá-lo enquanto pode.

__NÃO!__gritou Demi em resposta. Ela já chorava desesperada. Foi aí que percebi que ela queria este bebe mais que tudo neste mundo. Queria-o tanto como eu. Apertei mais meus braços em volta dela e disse em seu ouvido tentando acalmá-la.

__Calma pequena. Eu não vou deixar ninguém tirar nosso bebe de nós. Vai com Nick. Ele te leva em casa. Eu prometo que quando acabar aqui vou ver você. Descanse. Você já passou por muito hoje. Eu te amo muito meu amor. Eu prometo que ninguém vai tirar nosso filho princesa.__disse beijando sua bochecha. Demi olhou pra mim sorrindo no meio das lágrimas.

__Eu te amo muito Joe. Não a deixe tirar nosso filho.__pediu fazendo carinho em meu rosto.

__Ela já me tirou meu pai. Não vou deixa-la tirar o mais importante na minha vida. Você e nosso filho.__prometi. Dei um beijo calmo nela e fi-la levantar-se de meu colo. Levei-a até Nick que estava parado na porta de casa. Alguém esqueceu a porta aberta e falou demais mostrando assim que tipo de pessoa ela é.

__Nick leve Demi para casa, por favor. Tenho coisas a resolver aqui e depois vou vê-la.__pedi.

__Pode deixar. Eu levo sem problemas.__disse sorrindo.

__Tenha cuidado. Não é só Demi que está levando.__avisei. Nick entendeu o recado e assentiu.

__Descanse como lhe disse.__disse dando um beijo em Demi e acariciando seu ventre.__Amo você.

__Vou descansar. Também amo você.__sorriu e seguiu Nick até o carro. Virei-me e encarei Denise que estava sorrindo cinica.

__Estava vendo que nunca mais ela ia embora.__disse jogando a bolsa no sofá.

__Você não vai tirar meu filho como fez com meu pai.

(…)

__Boa tarde Joseph.__cumprimentou Pierre sorrindo simpático como sempre.

__Boa tarde Pierre. Eu vim…__fui interrompido. Ele já sabia.

__Ver Demi. Estavamos esperando. Ela esta descansando, mas avisou que você pode subir. Terceiro quarto à direita.

__Obrigado.__sorri e segui até o quarto de Demi.

Cheguei ao quarto e dei duas batidinhas na porta. Ninguém respondeu então imaginei que ela estivesse dormindo. Abri a porta devagar e fechei-a logo atrás de mim. Demi estava deitada na cama dormindo. Estava calma e sorrindo. Parecia um anjo dormindo. Meu anjo.

Tirei os ténis que estava calçando e me deitei ao seu lado com cuidado. Deitei minha cabeça na curva de seu pescoço e coloquei minha mão em seu ventre. Onde estava nosso filho. Crescendo cada vez mais. Demi percebeu o calor do meu corpo e se proximou ainda mais de mim. Abracei-a e cochilei.

Acordei pouco tempo depois com alguém fazendo carinho em meu cabelo. Sorri ao perceber que ela tinha suas pernas enroscadas nas minhas.

__Oi papai.__disse sorrindo lindamente.

__Oi mamãe.__entrei na brincadeira e dei um selinho nela.

__Como foi lá?__perguntou não se contendo de curiosidade.

__Não tem mais Denise entre nós.__disse satisfeito.

__Como assim?

Flashback On

__Ela tem qua abortar Joseph.

__Mas ela não vai. É meu filho, eu decido! Não você!

__Joseph, você tem que perceber que ela não vai ser boa mãe. Ela é horrivel e não tem dinheiro nenhum.__não consegui evitar e ri disso.

__Primeiro Demi vai ser uma ótima mãe.  Segundo, não tente ser mãe agora. Não tente ser alguém que nunca foi pra mim. E dinheiro? Eu tenho dinheiro para criar meu filho. E posso muito bem trabalhar para sustentá-lo se precisar.

__Então vai precisar porque eu não vou dar dinheiro nenhum a você.

__Nem precisa!__disse um homem parado na porta de casa. Eu não o conhecia, mas Denise parecia não gostar da presença dele ali.__Boa tarde Joseph. Sou Steve Morrison, advogado de sua familía, mais própriamente de seu pai.__se apresentou estendendo a mão para me cumprimentar.

__Prazer em conhecê-lo.__disse simpático apertando a mão de volta.

__Eu vim aqui pra falar com você sobre o testamento que seu pai fez um pouco antes de morrer. Vejo que cheguei em boa hora.__disse olhando sério para Denise.

(...)

__Então quer dizer que todo o dinheiro que se tem gasto até agora, seja da minha parte, seja de Denise, é apenas 10% daquilo que meu pai tinha como patrimônio?__perguntei tentando perceber o que o advogado me explicara.

__Exatamente. Ao fim de tantos anos ele não confiava tanto assim em Denise e decidiu deixar quase tudo pra você. Você como filho único tem direito a tudo. Você só podia receber a herança quando completasse 18 anos. Visto que assim foi à dois meses, está na hora de assinar a papelada.

__Então eu fiquei com a empresa, terrenos, propriedades, tudo?__perguntei ainda sem acreditar.

__Tudo. Acho que com um filho a caminho, vim em boa altura. Parabéns.__disse. Apenas sorri. Adeus Denise.

Flashback Off

__Então quer dizer que você é futuro empresário Jonas?__perguntou sorrindo. Assenti.__Parabéns. Você merece tudo isso que está acontecendo de bom.

__Você não pode falar muito futura empresária Jonas.__disse olhando o teto.

__Jonas?__perguntou confusa.

__Claro. Pretendo casar com você.__disse óbvio.

__AGORA?__perguntou assustada. Ri com a carinha fofa que ela fez.

__Claro que não. Mas daqui a um tempo sim.__coloquei uma mão no bolso da calça e tirei a pequena caixinha sem que Demi notasse.__Para agora já fico satisfeito se aceitar namorar comigo pequena.__abri a caixinha e vi os olhos de Demi brilharem.

__Vo… você…

__Aceita namorar comigo Demetria Lovato?__perguntei me apoiando nos cotovelos e elevando o tronco para olhá-la.

__Aceito.__Demi saltou para cima de mim e me beijou carinhosamente.

Sorri ao ouvir o “Aceito” que eu tanto esperava. Coloquei a aliança dela em seu dedo e ela fez o mesmo comigo. Depois a beijei apaixonadamente. Eu não queria soltá-la nunca mais. Demi correspondia prontamente ao beijo. Enquanto aprofundava mais o beijo, puxei Demi para sentar em cima de mim, colocando uma perna dela de cada lado de minha cintura. Demi tinha suas mãos em meu peito, braços, pescoço, nuca e rosto e eu estava ficando excitado. Interrompi o beijo.

__Você acha que se fizermos amor agora vai machucar o bebe? Preciso de estar dentro de você… tipo… agora!!__perguntei preocupado, excitado, desesperado, ofegante e mordendo seu lábio inferior.

__Hum… ele é bem pequenininho, com carinho pode sim. Nós sempre quebrámos as regras mesmo.__disse dando de ombros e sorrindo sapeca. Olhei pra ela encantado. Ela era perfeita de todas as maneiras.

__E de pensar que tudo isto começou porque fiz sexo com uma nerd.__disse apertando suas coxas. Demi gargalhou alto.

__Você fala demais.__disse rindo.

__Você que fala. Sua culpa.__disse rolando na cama e ficando por cima dela enquanto ela ria. Depois disso a história é outra.

FIM 
OU TALVEZ NÃO...


Créditos ao blog: http://jemifan-stories.blogspot.com.br/

5 comentários:

  1. Oi ! Amei o final
    Ta perfeito !! Quase chorei
    Posta logo a proxima fic :)
    Love U xo

    ResponderExcluir
  2. Vei na boa merece um filme, que história maravilhosaa sensacional *----*

    ResponderExcluir
  3. ADOREI DE VERDADE!!!!!!!! NOSSA.....ACHEI QUE O JOE FOSSE UM CRÁPULA....MAS ELE FOI MARAVILHO NO FINAL DAS CONTAS!!!!!!!!!!!!!
    POXA ESSA FIC TEVE TODOS OS ELEMENTOS NA MEDIDA CERTA......PARABÉNS!!!!!!!!!!!!!!

    ADOREIIIIIII !!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caaaaaaaaarraaaaaccaaaaa que isso comecei a ler hj e acabei de ler hj mesmo ..vou te dizer isso mais não é pra se achar não viu u.u ~chorei~ mais eu acho pq foi que eu fiquei ate agora lendo 3;48 e tbm tirei o óculos... Cara sacanagem terminar aii, puta sacaaaaanagem tem que coooontiinuarr nem que seja uma 1° temporada ..mais se muddar de ideia quem sabe não sai uma2 ° em 😁. Coooooontinua ou eu ranco teu figado ou pâncreas u.u. -Brinks sSO QUERO QUE VC TERMINE CONTINUEEEEEEEEW

      Excluir