quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Um amor verdadeiro - Parte 2 - Final


16 de março 1842

Acordei com o sol invadindo o quarto, era real, eu estava mesmo ali, uma onda de felicidade invadiu meu corpo e ali eu percebi que estava completamente nua e ao meu lado se encontrava Joseph, dormindo com um anjo. Ele começou a acordar, e logo sorriu ao me ver, avançou e meu deu um selinho.

- Bom dia.
- Bom dia meu amor. - Disse ele sorrindo.
- Eu, acho melhor eu ir, não dormi em casa, minha mãe deve estar preocupada, tenho... - Ele me interrompeu.
- Namora comigo?
- Joseph., eu... aceito.
- Sabia que iria aceitar. Agora vá. - Fiz a menção de se levantar e ele me puxou de volta. - Não antes do meu beijo. - Ele me beijou apaixonadamente, como ontem, então eu levantei e me vesti, sai rápido pra casa.
Quando cheguei em casa, já levei gritos e tive que ouvir mais do que queria, voltei ao trabalho, mas não antes de passar na casa de Selena pra ir busca-lá, sua mãe já estava melhor e ela tinha que voltar ao trabalho.
- Selena, tenho tanto a te contar.
- Conta.
- Joseph, eu fiquei com ele ontem a noite.
- O que?
- Não me olha assim, eu sei que ele é filho da horrorosa e tudo mais, só que eu amo ele e ele me ama também, então...
- Não sei não, e se a mãe dele descobrir?
- Ah, sei lá, eu só quero aproveitar o momento, ele me pediu em namoro.
- Sério? Meu Deus.
- É, hoje de manhã.
- Parabéns amiga. - Disse ela pulando em cima de mim e me dando um abraço de urso.
- Obrigada. A podre da mãe dele foi viajar, então, vamos ter paz por essa semana.
- Graças ao Senhor.
Preparamos tudo de muito bom humor, Joseph vinha regularmente a cozinha me visitar e sempre me levava para os campos pra ficarmos juntos.

20 de março de 1842

- Pelo menos você teve sorte com ele. Já o Nicolas, nem olha pra mim. - Disse ela cabisbaixa.
- Eu nem sei como te ajudar, ele se acha muito bom pra namorar empregadas. - Nessa hora ela parou de lavar o prato e me olhou. - Desculpa amiga, mas é a verdade...
- Não tenho chance nenhuma com ele.
- Não fica assim, você vai achar alguém que te ame, ele não te merece, sinceramente.
- Eu sei. - Ela voltou a lavar os pratos.
Mais a noite, me despedi de Joseph e Selena, e voltei pra casa. Minha mãe como sempre, estava preparando a janta, comemos e depois todos foram se deitar. Eu não tinha contado a ela sobre Joseph, oque me deixou com um peso na consciência, eu iria esperar mais um pouco, resolvi dormir logo, tinha muita coisa pra fazer no dia seguinte.

De madrugada acordei ouvindo um forte estrondo, levantei assustada e fui até a janela, me deparei com uma cena horrível, fogo por toda parte, corpos estirados e espalhados pelo chão, pessoas correndo apavoradas e homens fortemente armados. Estava havendo uma guerra bem na minha frente. Meu primeiro impulso foi acordar toda minha família. A casa vizinha já pegava fogo e logo incendiaria a minha, corri por toda casa, não havia tempo pra salvar nada, a unica coisa que peguei foi o livro que Joseph havia me dado, com suas anotações e desenhos maravilhosos, guardei ele em uma bolsinha de pano leve e sai para a ruína com a minha família ao meu pé. Não havia lugar para onde fugir, estava tudo destruído. Em poucos minutos, me perdi de minha família, eu estava em desespero, sozinha, já estava chorando muito.
Corri, corri e corri, até que topei com Joseph.
- Demetria.
- Joseph, minha família, eu me perdi deles, e Selena...
- Calma - Ele me abraçou forte e me deu um beijo na testa. - Nós vamos encontra-los, eu prometo.
Saímos correndo pra longe das chamas, procuramos por toda parte, mas nem sinal deles, os campos, tudo era fogo, não havia mais nada. Na correria, senti algo adentrar meu peito e uma forte dor me dominou, meus joelhos cederam e Joseph me segurou antes que eu batesse no chão.
- Demetria... Demetria... Não. - Ele chorava.
Senti que não havia mais jeito, era o fim, o fim de tudo.
- Eu te amo. - Sussurrei.
- Eu também te amo. - Sussurrou em resposta enquanto me abraçava.
Minha visão oscilava, seu rosto saiu fora de foco, até que só vi um borrão e depois a escuridão.

Acordei em um lugar totalmente desconhecido, era lindo, tinha uma grama bem verde e os jardins eram floridos. Me dei conta de que não estava mais com Joseph e nem no lugar onde eu morava. E percebi, que tinha perdido, para sempre, o amor da minha vida.

FIM 

6 comentários:

  1. amore,me desculpa por nao ter comentado nos ultimos posts,posso ate nao esta comentando em todos,mas te prometo que to acompanhando e to amando!bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, não tem problema não linda. Obrigado por estar acompanhando o blog, fico muito feliz por isso.
      <3

      Excluir
  2. Amei o final !!
    Ta lindo ..
    Beijonas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas ela tinha qui termina com o joe

      Excluir
    2. mas nem tudo é como queremos ou imaginamos ser. :/

      Excluir