segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Capítulo 15 – Wedding Bells

As paredes brancas daquele hospital estavam me enlouquecendo! Acrescentado a isso,havia o fato de eu estar tentando ligar para a Demi desde que cheguei, sem retorno. Meu coração encontrava-se pequeno, espremido contra o peito. Eu precisava fazê-la me ouvir, me entender... Me perdoar.


- O acompanhante da senhorita Greene? – o médico disse ao entrar na pequena sala de espera.
- Eu. – respondi me levantando e sentindo minha perna vacilar ao realizar tal ato.
- Sr.... – o médico começou.
- Jonas. Sou noivo dela e pai do bebê. – respondi.
- Certo, Sr. Jonas. Bem, a senhorita Greene passa bem, ela está com uma anemia em estado avançado o que provocou o sangramento. Eu já prescrevi uns remédios que a ajudarão a recuperar vitaminas e ferro. Ela precisa alimentar-se melhor e sair um pouco de casa, os raios do sol ajudam a metabolizar algumas vitaminas essenciais pra ela. – ele disse de braços cruzados e olhando pra mim, que ouvia a tudo atentamente.
- E quanto ao bebê? – perguntei meio apreensivo.
- Ele está bem, apesar da alimentação da mãe não ser das melhores. Se ela fizer tudo direitinho, o bebê será bem saudável. –ele disse com um sorriso no rosto e me fazendo sorrir também. Alívio, foi o que senti. Meu filho estava bem.
- Quando ela poderá ir pra casa? – perguntei ao médico.
- Ela ficará em observação por vinte e quatro horas. Vou deixar o Sr. vê-la e depois aconselho ir para a casa. Sua noiva e seu filho ficarão bem. – disse e, em seguida, me acompanhou até o quarto onde Ashley estava.

Ao entrar na sala, o médico disse que teria dez minutos com ela e depois teria que sair, deixá-la descansar. Caminhei devagar até Ashley que me olhava sorrindo de leve, mas com os olhos tristes.

- Oi. – comecei a dizer.
- Oi. – ela respondeu com a voz fraca.
- Que susto, não?! – disse sorrindo fraco.
- Parece que ele já sabe sobreviver as minhas loucuras né?! – ela disse olhando para seu ventre.
- É bom ele se acostumar com a mãe que tem. – disse sorrindo e acariciando a mão dela.
- Desculpa mais uma vez Joe. – ela disse me olhando com os olhos marejados. – Quase matei nosso filho com essa minha estupidez toda.
- Tá tudo bem. – eu disse, agora passando as mãos por seu rosto pálido. – Agora é só fazer o que o médico disse e cuidar direitinho dessa saúde. O bebê depende de você, Ash.
- Vou fazer isso. – ela disse sorrindo brevemente. – Agora você vai pra casa e descansa ok?! Nós ficaremos bem.
- Eu sei que ficarão. – disse sorrindo e depositando um beijo na testa dela. – Se precisar de algo ou se qualquer coisa acontecer, me liga ok?!
- Ok! – ela disse fechando os olhos lentamente e sinal de sonolência. Acariciei o rosto dela mais uma vez e me afastei, saindo do quarto.

No caminho de casa foi inevitável não pensar em Demi e o que eu faria pra que ela me ouvisse. Já passavam das dez da noite, ela provavelmente estava dormindo, então decidi que, amanhã eu a esperaria na saída do colégio. Ela não ia ter como fugir.

Estacionei o carro na garagem e caminhei de cabeça baixa até a porta da minha casa. Meus pensamentos confundiam-se e colidiam-se entre si. Uma confusão, era assim que se encontrava minha cabeça naquele momento. E eu não sabia por onde começar a concertar as coisas.

Entrei em casa e não me dei ao trabalho de ascender a luz. Subi direto para o meu quarto no intuito de tomar um banho e cair na cama. Já me encontrava no quarto degrau quando uma voz vinda da sala me fez parar no mesmo instante.

- Joe – Demi disse com a voz fraca.
- Demi? – disse descendo as escadas quase correndo.
- Desculpa ter ficado aqui, mas acho que a gente precisa conversar, certo? – ela disse com a voz falha e, forçando a vista, pude ver que ela havia chorado.
- Porque não atendeu ao celular? Liguei um milhão de vezes pra você e... – comecei a dizer meio desesperado.
- O que temos pra conversar não é algo que pode ser discutido pelo telefone, Joe.  – ela me interrompeu com a voz um pouco mais firme.

Um minuto de silêncio se seguiu e, com a visão mais acostumada com o escuro em que a sala estava mergulhada, pude ver a expressão dela. Era um misto de tristeza e algo mais que não pude decifrar, e essa minha impossibilidade de ler os sentimentos dela me assustou.

Respirei fundo e, juntando toda a força que tinha em mim, comecei a conversa que, por muito tempo, foi temida por mim.

- Demi, eu ia te contar. – disse e fiz uma breve pausa, esperando que ela me interrompesse ou esboçasse qualquer reação de deboche por essa minha frase tão clichê. Nada. Continuou parada de frente para mim e com os braços cruzados. – Eu fiquei com medo de perder você e eu não podia simplesmente deixar a Ashley grávida e no estado em que ela estava.
- Quanto tempo? – foi o que ela perguntou com a voz tão fria que me fez estremecer.
- Três meses. – respondi simplesmente.
- Então você me fez acreditar durante todo esse tempo que ficaríamos juntos quando na verdade você estava cuidando da noivinha e do seu filho. – ela disse e, dessa vez, além de frieza a voz dela tinha algo a mais: raiva.
- Demi eu ia te contar eu só estava tentando encontrar a melhor solução. – disse com o desespero estampado na minha testa.
- Ah claro! – ela disse descruzando os braços e os jogando ao lado do corpo. – Porque mentir pra mim é um solução realmente genial.
- Era temporário. Demi por favor, tenta me entender. – eu disse dando um passo em direção a ela, mas parei quando a vi recuar. Ela estava fugindo de mim?
- Não quero saber se era temporário ou não. O fato é que se você não se separou dela por causa do filho, o que te faria deixá-la durante a gravidez? Pior, depois que o bebê nascesse, você teria a coragem de sair de casa? – ela perguntou com as mãos na cintura.

Tentei responder a pergunta de um modo que não a magoasse. Não consegui. Demi estava certa, eu não teria coragem de deixar Ashley tão cedo. Demi bufou ao perceber o que meu silêncio queria dizer.

- Sabe Joe, - ela começou a dizer depois de passar as mãos pelo rosto. – Quando eu propus pra você que fossemos amantes, devo ter mencionado que era por enquanto, até eu conquistar você e tê-lo só pra mim. Eu podia competir com a Ashley e até me atrevo a dizer que ganhei essa “competição”. – ela disse fazendo aspas com as mãos na última palavra. - Mas sabe, eu não posso competir com um filho...
- Demi, por favor! – eu disse já sentindo meus olhos arderem.
- Eu jamais destruiria uma família. – as lágrimas rolavam livres pelo rosto dela, fazendo meu desespero aumentar. – Essa criança não tem culpa de nada e não merece pagar por erros que ela não cometeu. Ela precisa do pai ao lado, precisa de você.
- Eu preciso de você e é só isso que me importa. – eu disse e no impulso corri até ela sem que Demi tivesse tempo de reação e selei nossos lábios. Um beijo que não foi aprofundado, apenas lábios grudados com toda a força que tínhamos. Molhado pelas lágrimas que desciam de nossos olhos.

Separei os lábios, mas deixei nossas testas unidas. Sentia a respiração dela bater em meu rosto e ainda com os olhos fechados, a ouvi dizer.

- Eu amo você Joe. – ela disse com a voz embargada – Mais até do que imaginei que pudesse.
- Eu também amo você Demi. – eu disse em um sopro de voz – Eu preciso de você do meu lado.
- Eu não posso. – ela disse entre soluços. - Eu não sou forte o suficiente pra isso. Não quero ser a amante pra sempre.
- Mas você não será, é só por um tempo.  – eu disse ainda com as mãos no rosto dela e abrindo os olhos devagar.

Demi riu sem humor e separou mais nossos corpos.

- Você sabe que não será assim. Mesmo depois que a criança nasça, depois que ela cresça... Ainda será seu filho e Ashley ainda será a mãe. Se você decidi ficar comigo, seu filho me odiará por separar vocês dois e eu não quero isso. – ela disse convicta.
- Por favor Demi, não faz isso. – eu disse quase implorando.
- Já tá feito Joe. – ela disse dando de ombros e esforçando-se pra esboçar um sorriso, sem sucesso. – Você vai construir um família, será um pai maravilhoso, um marido que toda mulher quer e terá uma vida completa.
- E quanto a nós? – eu perguntei sentindo meu chão desparecer. Eu estava perdendo a mulher que eu tanto amava. Que me fez mudar meus conceitos e meus sentimentos. Que me fez ser uma pessoa melhor.
- Ficaremos nas lembranças um do outro. Guardaremos os momentos bons pra nos fazer companhia em momentos de solidão e saberemos que o que tivemos foi de verdade. – ela disse sorrindo.
- Não pode terminar assim. Eu amo você! Isso não pode terminar assim! – eu já gritava em meio as lágrimas, tamanho era meu desespero.

Demi fechou os olhos e quando os abriu, proferiu as palavras finais. O adeus.

- Desejo tudo de bom pra você Joe. – ela disse e caminhou até mim pousando sua mão em meu rosto e me fazendo fechar os olhos. – Jamais esquecerei de você e de quanto eu fui feliz ao seu lado.

Senti a mão dela se afastar do meu rosto, mas não tive coragem para abrir os olhos. Não queria ter que encará-la pela última vez. Não queria que aquilo fosse verdade. Deus, como eu queria voltar no tempo! A porta atrás de mim se fechou e eu abri os olhos com o susto. A sala estava vazia. Ela havia ido embora.


Duas semanas depois...

A aliança em meu dedo anelar esquerdo pesava mais que o normal. Talvez pelo real peso que aquele simples símbolo trazia para a minha vida, talvez por aquela argola dourada me lembrar de tudo o que eu havia perdido ou pelo fato de ela representar o que minha vida seria dali pra frente.

Eu estava casado há dois dias. A cerimônia foi simples, apenas um juiz de paz, amigos próximos e parentes. Nada de igrejas e festas badaladas. Não era necessário. Demi não foi, se é o que estão se perguntando. Os pais dela se desculparam pela ausência da filha que se justificava por uma viagem com uma amiga para uma chácara da família.

Dizer que isso não me magoou seria pura mentira, mas eu a entendia. No lugar dela eu faria o mesmo. O fato é que estava feito. Agora eu era responsável por uma família, por Ashley e por um pequeno ser que ainda estava sendo preparada para a vida aqui fora. Sem espaços para desvios e curvas pelo caminho. Sem espaço para Demi.

Continua...

2 comentários:

  1. Posta logoo ..
    Selinho no meu blog www.thevampirediariesjemi.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Postado fofa. Beijão e obrigado pelo selo!!! <3

      Excluir