quinta-feira, 7 de março de 2013

Querido Diario - Parte 1


PERDIDA

Segunda-feira, 20 de setembro de 2012
Querido Diário... 
Eu não tenho o costume de escrever a esse horário, geralmente é sempre antes de dormir. Mas hoje eu preciso desabafar antes que eu exploda.
O clima aqui em casa nunca é dos melhores e eu não sei mais o que fazer. Meus pais vão se separar, disto eu tenho certeza. As brigas, confusões, as mesmas coisas de sempre. Não sou de ouvir atrás da porta mas hoje eu não pude evitar. Estava passando na frente do quarto deles quando escutei. Posso estar enganada, mas tenho certeza de que ouvi o papai dizer que ela o traiu e que iria se separar, não importa o que aconteça.
Isso não pode ser verdade, não poderia nem estar acontecendo. Não quero isso. Não posso viver só com a minha mãe, ela nem parece mais a minha mãe. Ela mudou muito. Não cuida mais de mim como costumava, ela não me dá mais conselhos. O que me salva é meu pai.
Sempre converso com ele e os conselhos que ela deveria me dar, quem se encarrega disso é ele.
Ser filha única nesses casos não é bom, não tenho com quem desabafar, não tenho amigos, não tenho uma melhor amiga. Isso complica tanto a situação.
Não sei com quem que a minha mãe andou se deitando, não sei como isso será resolvido - se é que tem solução - não sei como vou lidar com isso se meus pais se separarem. Deve ser horrível ter que ir e vir da casa do pai e da mãe porque os dois não se suportam mais.
Só quero que tudo isso acabe e que a minha vida volte a ser como nos comerciais de margarina. 

— Demetria, desce aqui agora por favor. — Ouvi minha mãe gritar.
— Espera só um minutinho, já estou indo. — Gritei em resposta.
Calcei minha sandália e fui até a sala que se encontrava no andar de baixo. Minha mãe como sempre estava se arrumando as pressas para o trabalho e como hoje na escola vai ter uma reunião, tenho uma folguinha e posso ficar em casa.
— Filha, preciso que você leve isso. — Ela apontou para uma grande bacia que esta em cima de um banco. — Para a lavanderia.
— O que é? — Pergunte indo em direção a geladeira para pegar água.
— São as cortinas.
— Hm, vi que tinha algo diferente na sala mas não sabia o que era. Mãe, pra que você quer lavar as cortinas, não faz nem uma semana que foi lavada.
— Eu sei, mas a sua avó vai vir aqui amanhã e você sabe que ela adora colocar defeito em tudo. — Ela foi falando enquanto colocava um pequeno brinco brilhante na orelha.
— Pra que tudo isso? — Perguntei. Ela está se arrumando demais pra quem só vai trabalhar.
— Tenho que estar apresentável.
— Mãe, você é secretaria, tem que se arrumar sim, só não precisa disso tudo. — Eu obviamente não acredito no que ela disse. Não sou tão idiota de não perceber que ela está toda arrumada porque provavelmente o seu "amante" trabalha com ela.
Não vou nem dizer nada, até porque isso não é um problema meu. Mas não vou dizer que eu não fico triste e revoltada, porque eu fico sim, e muito.
— Eu vou levar isso para a lavanderia, acho que já abriu. — Comuniquei isso a minha mãe, ela concordou com a cabeça e eu subi para trocar de roupa.
Posso não dar a minha opinião em alto e bom som, mas eu escrevo tudo em meus diários, tudo mesmo. Não é atoa que tenho uma gaveta que eu tranco a sete chaves, lá dentro eu guardo todos os meus cinco diários e coisinhas a mais.
Voltando ao assunto, quero ficar bem longe da minha mãe. Você pode até pensar que eu estou sendo ingrata, mas viver com a mulher que trai o seu pai na cara de pau não é uma coisa muito legal.
Já estou trocada, agora é só ter que andar três quarteirões com uma bacia nas mãos. Ó vida cruel.
Sai caminhando pela rua carregando a grande bacia nas mãos, o sol escaldante batendo nas minhas costas. Aposto que até eu ir e voltar, vou estar toda derretida.
Não acredito que eu tenho que fazer isso por causa da minha avó, ela é uma velha muito metida, chata e desagradável. Sem contar a inconveniência dela que me dá até nojo.
Acho que não caberia nem a metade aqui se eu dissesse o quando detesto aquela velha. Ela não vai muito lá pra casa, mas quando vem, euzinha aqui tenho que limpar tudo. Como meu pai também não gosta dela, quando ela vem ele sai e dorme fora. Minha mãe virou uma imprestável, só sabe se arrumar e comprar, parece que ela ainda não se deu conta de que somos pobres e logo logo ela vai estar no vermelho tendo que pedir dinheiro emprestado. Ela não cozinha e não limpa, só come e dorme. E no fim de tudo, eu tenho que arrumar a casa toda e sempre, mesmo que não tenha, minha avó sempre acha um pozinho só para ter o que reclamar de mim. Ela sempre diz "Essa garota nunca limpa nada direito, olha isso, quanto pó" mas na verdade o dedo dela sempre sai limpinho porque eu já vi.
Já estou quase chegando a lavanderia Graças a Deus, não aguento mais esse sol queimando as minhas costas.
— Ei, Dona Lidia, tudo bem com a senhora? — Cumprimentei a senhorinha dona da lavanderia enquanto colocava a bacia em cima de uma das maquinas.
— Estou sim minha filha, veio mais uma vez lavar as cortinas?
— Pois é. Minha mãe acha que estão um pouco sujas.
Peguei as cortinha com um pouco de esforço, são aquela cortinas antigas bem pesadas sabe? Então, é bem chatinhas de se carregar. Coloquei-as dentro da maquina com sabão e água, fechei a porta e liguei-a. Me sentei em uma cadeira próxima a maquina e esperei, esperei e esperei.
Já são quatro horas da tarde e as cortinas ainda estão na maquina de secar, meu Deus que demora.
O maquina silenciou e eu agradecendo por já ter acabado, tirei-as de lá e devolvi-as para a bacia.
Depois de pagar pelo serviço eu sai, indo de volta a minha casa, estou morta de fome, nem almocei porque tive que ficar lavando essa coisa. Vou logo pra casa antes que eu desmaie.
Caminhei em passos apressados querendo chegar logo em casa, essa bacia pesa demais.
— Ufa, cheguei. — Suspirei ao parar em frente a minha casa.
Abri a porta e entrei, que escuro aqui dentro, vou acender isso aqui. Acendi todas a luzes necessárias depois de colocar a bacia com as cortinas em cima do sofá.
Preciso muito de um banho, estou toda suada. Entrei no meu quarto e fui direto para o banheiro, tirei a minha roupa e tomei um banho morno não muito demorado.
Não tem ninguém em casa além de mim, assim é bom que não tem brigas.
Já estou limpa e trocada, hora de escrever no meu diário o meu dia "incrível". Peguei a minha chave que sempre levava comigo. Mas tem algo estanho. A minha gaveta esta totalmente quebrada. Alguém tentou e conseguiu abri-lá.
Já estou desesperada. Calma Demi, respira.
Abri a minha gaveta e só o que encontro são as coisinhas a mais que eu sempre guardei, porque os meus diários, todos, sumiram.
Eu tenho sim que estar em desespero, minha vida toda esta lá dentro, tem segredos que eu compartilhei ali, mas foi só pra mim, não imaginei se quer por um segundo de que isso fosse acontecer. A minha vida toda eu sempre confiei demais nos outros e me ferrei por isso. Apenas uma pessoa sabia onde eu guardava e o que eu guardava dentro da gaveta. Mas não pode ser ela, não pode. 
E porque alguém faria isso, é imprudente, desnecessário. Pra que isso. Meu Deus. Não tem sinal de arrombamento nas portas nem nada, alguém deve ter subido na árvore e entrado pela janela. Que maldito dia é esse?
Meu coração esta acelerado, só agora que eu percebi que estou andando de um lado pro outro. Calma Demi, você tem que pensar com clareza. Agora são cinco e meia da tarde, em que horário será que isso ocorreu? Ah, Droga, fica difícil raciocinar sabendo que alguém pode estar invadindo a minha vida nesse momento. Será que alguém me odeia tanto assim?
Eu só tenho que pensar em um jeito de encarar isso.

Hoje de manhã eu acordei péssima, quem dera isso ser um sonho, mas não é. Levantei-me bem cedo e fui tomar um banho, me arrumei e sai vinte minutos antes do normal. Hoje seria um dia comum, tenho que ir para escola e fazer um monte de coisas que eu já estou acostumada.
Nesse momento eu estou a uma quadra da escola, ainda estou pensando no que me aconteceu. Estou me sentindo fraca e impotente, não sei o que fazer.
Respiro fundo e vou em direção a escola, mesmo com isso acontecendo eu não posso deixar de viver a minha vida. Chego na escola em menos de cinco minutos.
Aqui é muito barulhento como sempre e eu odeio barulho. Está tudo como antes exceto que enquanto eu ando sinto olhares me seguirem de perto. Minha espinha esta gelada claro e eu vou direto ao banheiro, vai que a minha cara ta suja, sei lá né.
Estou indo em direção ao banheiro e os olhares ainda me perseguem, isso é tão irritante.
Não há nada de errado comigo, estou me olhando no espelho a cinco minutos e tudo que eu vejo é a mim mesmo normal como sempre.
— Pssss, ela ta aqui, cala a boca. — Escutei uma garota dizer. Isso foi pra mim? Acho que não.
— Ai meu Deus ela gosta do Joseph coitada, ha ha ha. — Ela ria histericamente tentando não fazer barulho, mas está se saindo muito mal.
Mas espera... Ela disse Joseph  Sério mesmo, será que isso foi pra mim. Droga. Eu quero saber o que esta acontecendo.
Bati a porta do banheiro e me escondi rapidamente. Elas com certeza acham que eu sai porque elas também saíram do box do banheiro.
— Gente, olha isso. — Ela mostrou alguma coisa no celular para as amigas.
— Meninas raciocinem, isso não pode ser verdade, ela nunca postaria isso, é a vida dela. — Disse uma outra garota que estava virada de costas, não a reconheci nem pela voz.
— Mas tem uma foto aqui, olhem. Eu já vi ela com esse diário uma vez na hora do almoço. Ela estava escrevendo nele e quando fechou eu vi a capa, é muito igual. — Espera? DIÁRIO? Diário foi o que eu ouvi?
Saio rapidamente do box do banheiro assustando as meninas.
— Ér... me desculpem por isso, mas por favor podem me dizer o que esta acontecendo? — Perguntei nervosa.
— Você não sabe né? Uiii... Você não vai gostar.
— Gostar do que? — Perguntei.
— Olha.
Peguei o celular da garota e olhei, estava em um site, parecia mais um blog. Ali continha o titulo
"Os Diários de Demetria", embaixo a foto de um dos meus diários e sobre ele um post que relatava tudo o que eu tinha escrito no dia dois e doze de agosto de 2012. Comecei a ler:

02 de agosto de 2012
Querido Diário...
Descobri um sentimento interessante pelo Joseph  antes eu só queria saber de ser amiga dele, mas hoje foi totalmente diferente, senti algo novo e tenho certeza de que estou começando a gostar dele de um modo diferente...
---
12 de agosto de 2012
Querido Diário...
Hoje o dia foi extremamente chato, fui para escola, fiz lição, apresentei meus trabalhos, a mesma coisa de sempre. Só não foi uma total perda de tempo porque o Joseph falou comigo hoje. Não foi bem um "Oi" mas pelo menos ele falou comigo. Ele mudou de classe em química e a única sem parceiro era eu, o que significa? Ele teve que sentar do meu lado. Já é um avanço, pois é. Vou ter que trabalhar com ele pelo resto do ano e espero que sejamos amigos mais pra frente.

A minha vida intima parece estar sendo postada para a escola toda e quem quiser ler. Isso não pode estar acontecendo...

CONTINUA...

*Ai está a primeira parte, muito obrigada pelos cometários na sinopse, espero realmente que gostem.
Eu gostei. xx 

8 comentários:

  1. simplesmente perfeito amei. posta logo se não eu vou ter um treco aki

    ResponderExcluir
  2. Genteeeee
    que tensooo mais perfeitooo
    foi um piranha que pegou quer ver kkkk
    Bju postaa logooo

    ResponderExcluir
  3. O M GGGGGG!
    Amante... Vida pessoal exposta pra escola... Fudeu!
    Caramba... Amando!

    Posta maiiiiiiiiiis!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma barra ):
      Que bom que gostou linda;
      Postado, bjs.

      Excluir
  4. Bah! Ser´que ñ foi o próprio Joseph????


    ResponderExcluir