sexta-feira, 8 de março de 2013

Querido Diário - Parte 2

CONHECENDO MELHOR

Tentei ir embora da escola pois não estava aguentando os olhares, para meu azar não deixaram eu sair. Vê se pode uma coisa dessas? Não tenho nem liberdade de escolha. O único jeito foi ir pra sala de química que será a minha primeira aula do dia.
Vou encontrar ele lá, sei disso, mas não vai ser a mesma coisa que eu queria que fosse. Ele vai rir de mim e vai me olhar com a mesma cara que todos fizeram. Mas eu supero isso, eu acho né.
Estou andando pelo corredor em direção a sala de aula, algumas pessoas ainda estão do lado de fora e eu passo e eles olham e assim vai até eu chegar na sala de aula.
Joseph está no fundo da sala e como ele é meu parceiro tenho que ir para o fundo também. Algumas pessoas que já estão na classe ficam me olhando do mesmo modo que todos. Ele ainda não viu que eu entrei por isso ainda não mandou o tal olhar de deboche talvez?
Contornei as mesas e quando cheguei perto ele levantou a cabeça e me olhou, foi um olhar diferente pude perceber isso. Não conheço ele nem de longe e não sei como é nem um por cento de sua personalidade. Mas pela cara dele, deu pra ver que não estava debochando de mim como todos fizeram e estão fazendo.
— Oi Demetria. — Cumprimentou-me ele e eu em resposta apenas acenei com a cabeça.
Peguei um livro na minha bolsa e terminei de ler a pagina que faltava.
— Não sei se você quer falar disso mas não sei como te ajudar, queria, mas não sei como.
— Perdão? — O que ele disse? Não escutei.
— Eu disse que queria poder te ajudar de algum jeito, sobre o que aconteceu hoje. — Ele quer me ajudar, bem legal da parte dele dizer isso, se ele soubesse como eu realmente estou por dentro...
— Aaah, você não pode, mas obrigado. — Respondi.
O professor ainda não chegou? Que isso, ele nunca se atrasa, a sala esta cheia e ele esta fora. 
Aff, só porque eu pensei como seria bom não ter a aula dele o barrigudo chega, gingando a pança de um lado pro outro.
— Bom dia turma.
— Bom dia. — Todos responderam com uma voz de quem esta morrendo.
— Desculpem pelo atraso. Hoje quero que vocês analisem estas bactérias que estão dentro desses potes em cima de suas mesas e façam um pequeno relatório sobre o que descobrirem. Vocês tem até o final da ula, podem começar por favor.
Peguei o recipiente que contem as bactérias e as coloquei em cima do suporte. Analisei elas e tem formas estranhas. Que besteira. Comecei a escrever quando Joseph pigarreou chamando minha atenção. Eu o olho.
— Pensei que isso era para ser feito em dupla.
— Ah, me desculpa. Pode olhar ai. — Que sem graça que eu to agora.
Ele estava escrevendo antes de eu o interromper.
— Você leu?
— O que?
— Aquelas coisas sobre mim, leu? Tudo?
— Li, tudo.— Ele respondeu e você já pode imaginar a minha cara de bosta.
Meu rosto ta quente e eu tenho certeza que to vermelha, porque eu to morrendo de vergonha e vontade de chorar.
— Eu não acredito que isso esta acontecendo.
— Eu posso ajudar em alguma coisa?
— Não, não pode. — Já estou sentindo as lagrimas escorrerem pelo meu rosto. — Isso é tão injusto, eu não fiz nada pra ninguém eu juro. 
— Uma coisa eu não entendo. Como que aquilo foi parar na internet?
— Alguém roubou os meus diários, eu escrevia tudo neles, tudo mesmo. Por isso eu estou tão nervosa, tem tanta coisa que tem que ficar guardada e agora esta por ai, lá se sabe onde.
Eu to chorando em silêncio, vejo que Joseph quer ajudar, mas ele não pode fazer nada.
— Se acalme, eu vou terminar de escrever isso e a gente sai daqui.
— Tá. — Sequei um pouco das minhas lagrimas e esperei.
Aula terminou logo e eu e Joseph saímos da sala. Eu tenho aula de inglês agora e ele de biologia, mas decidimos matar aula fugindo para uma parte afastada do prédio da escola.
Nos sentamos perto de uma moita embaixo de uma árvore, um solzinho gostoso invade meu rosto e eu fico olhando pro céu que esta lindamente azul, ao contrário do meu interior que esta nublado.
— Obrigado por ficar aqui comigo. — Agradeci.
— Não foi nada, sei que isso é chato.
Joseph parece ser uma pessoa confiável, e ele já é o meu parceiro a um tempo e temos conversado bastante. Não tenho ninguém no momento com quem eu possa desabafar e ele é a única pessoa que está disponível, tinha o meu diário, mas agora acabou.
— Você tem alguma ideia de alguém que possa ter feito isso?
— Não, ninguém sabia onde eu guardava, exceto... Não, não pode ser.
— Quem? — Perguntou confuso.
Eu não respondi.
— Quem é a pessoa? — Ele perguntou novamente e ainda assim não respondi de imediato.
— Charlie... — Sussurrei.
— Quem é Charlie?
— Era a minha melhor amiga.
— E por que não é mais?
— Ela está... morta. Não me lembro direito o que aconteceu...

~Flashback~

Estamos indo para o jogo do Oakland Raiders, é futebol americano e sim eu adoro. Eu, meu pai e minha mãe estamos indo até a casa da Charlie, os pais dela me convidaram para assistir o jogo com eles. Vamos a um estádio pela primeira vez e ela esta super animada assim como eu.
Cheguei a casa de Charlie e me despedi dos meus pais. Partimos rumo ao jogo dos Oakland Raiders na mesma hora em que eu desci do carro.
— Isso vai ser demais! — Exclamou Charlie bem alto.
Estamos cantando as musicas do Simple Plan bem alto dentro do carro. Os pais dela não gostam muito da musica, mas toleram isso pela gente. Pois é.
Continuamos cantando quando sentimos um baque atrás do carro. Bato minha cabeça no banco da frente, tudo esta girando, percebo que parou ao ver que estamos de cabeça para baixo. Charlie esta chorando e eu também. O cinto esta cortando o meu ombro e quero tira-lo. Após muito esforço consigo sair do carro que esta começando a pegar fogo.
— CHARLIE. — Gritei por ela e não obtive resposta.
Tentei chegar perto do carro, mas o fogo se alastra e eu não vejo mais a minha amiga.
Minha cabeça dói e segundos depois eu caio vendo só a escuridão...

~Flashback~


— ...Isso aconteceu ano passado.
— Sinto muito.
— Eu também.
— Mas espera, você disse que ela esta... morta.
— É.
— Então como você pode pensar por um segundo que tenha sido ela?
— Eu não to pensando que foi ela, não diretamente. Sei que ela esta morta, mas o que eu quero dizer é, alguém que gostava dela ou sei lá, talvez essa pessoa queira se vingar. E também, ela pode ter contado a alguém sobre os meus diários, ela não era perfeita.

CONTINUA...

6 comentários:

  1. OMG, quem é que roubou os diários da Demi, estou curiosa
    Posta logo
    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso você vai saber mais pra frente.
      Amanhã eu posto, ok?
      bjão.

      Excluir
  2. Oi.
    Adorei seu blog, é incrível.
    Me divulga?
    http://imjustapennyonthetraintrack.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado linda.
      Divulguei o seu blog.
      bjs

      Excluir
  3. hum interessante...
    posta posta postaaaaaaaaaa
    Bjus com curiosidade

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já pode matar a sua curiosidade. :)

      Excluir