segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Troubled Teenager - Parte 8

A Ashley, ela me persegue. Dá em cima de todos os garotos de quem eu gosto e agora que eu descobri que gosto do Joey também, ela vai lá e agarra ele. Eu devia ter inveja, mas na verdade não tenho. Eu sei que sou melhor que ela… de alguma forma. Sei que ela é mais magra, mais bonita, talvez mais bonita porque ela tem um nariz que parece o Michael Jackson. Sem ofensa ao rei do Pop. Eu amo ele. Mas ela parece mesmo. Se calhar é por isso que ela fala que nem uma gazela! Eu sei que as gazelas não falam, mas foi a única comparação que eu achei justa. Eu estou aqui ofendendo ela em pensamento mas é mesmo assim na realidade sabe. É irritante. Não me admira que o Joey deixasse que ela beijasse o pescoço dele. Assim ela mantém a boca ocupada e não fala. Ele é esperto.


Meu celular vibrou de novo e vi que era o Joseph de novo. Eu não queria falar com ele agora. Não queria ouvir a voz dele e nem queria sentir o toque dele. Não quero mais que ele me beije! Não quero estragar a nossa amizade.
Eu estou fazendo uma cena. O que vou dizer pra ele depois? Ele com certeza vai fazer perguntas.
Suspirei e olhei a rua à minha volta. Estava no bairro do Joe. Estava de frente para o parque onde a gente brincava quando éramos crianças. Ficava perto da casa dele o que significa que faltavam dois quarteirões para a minha casa. Que legal, eu sou uma bêbada consciente.
Olhei para os dois lados da estrada pra ver se vinha algum carro e atravessei para ir até ao parque. Eu tenho muitas memórias daqui, mas agora não estou lembrando todas. O álcool está dificultando meus pensamentos.
Sentei no baloiço e comecei a balançar devagarinho para não perder o equilíbrio e cair. Eu tirava os pés do chão e via o chão girando. Era tão legal. Eu tenho vontade de colocar aqueles “kkkk” nessa narração, mas sei que não posso. Essa coisa de ter regras gramaticais para escrever a minha própria história é uma droga. Nem um emoticon eu posso colocar. Senti o meu celular vibrar de novo e mais ma vez desliguei a chamada. Não sabia que Joseph era tão chato!
Eu tinha sede e tinha um gosto amargo na boca. Tenho a certeza de que meu hálito também não deve ser dos melhores. Graças a mim, sempre andava com bala de menta nos bolsos. Era algo essencial antes de sair de casa. Nunca se sabe quando vai precisar né? Bem, este é o caso. Nossa! Desde quando bala de menta arde tanto? É gostoso!
Meu celular vibrou de novo e mais uma vez, era Joseph. Desta vez atendi. Se não fizesse isso o celular nunca mais ia deixar de vibrar!
_Oh Joey, pára de ligar. Essa coisa fica vibrando e isso me irrita. Porque metem essas coisas pra vibrar mesmo?
Desliguei a chamada e comi mais uma bala de menta. Quem precisa de IPhone quando se tem balas de menta que não vibram? O visor do celular acendeu, mostrando que estava ficando sem bateria. Foi quando notei na foto de fundo. Era aquela mesma foto que eu tinha no fundo do meu notebook. Joey me segurando enquanto eu mordo a orelha dele.
Um fato que eu não tinha reparado antes. Eu estava por trás e ele estava fazendo careta enquanto eu mordia a orelha, a Ashley estava pela frente e ele estava fazendo careta. E agora? Ele gosta mais por trás ou pela frente? Tenho que descobrir.
Abri a minha pasta que era intitulada de “Jemi”, junção do meu nome com o do Joe, inventado por ele mesmo, e comecei a ver as nossas fotos e vídeos. Era uma mais louca que a outra, mas reparei que eu tinha sempre um sorriso grande no rosto. Quer dizer, não na foto em que eu estou com o moletom dele e enroscada no peito dele enquanto ele me beija a testa. Nessa foto eu estou com um sorriso tímido. Lembrei que essa foto era de um natal em que a gente fugiu para passarmos juntos. Claro que não fugimos para longe e nem por muito tempo. Tínhamos fugido para este mesmo parque.
Olhei em volta sorrindo e percebi o quanto eu amava aquele lugar. O quanto eu amava o Joey.
Eu amava o Joseph, meu melhor amigo e ele estava neste momento numa festa, se divertindo com uma menina que eu odeio. Senti meu coração apertar, como se estivessem torcendo ele e senti minha garganta ficar pequena. É um nó na garganta né? É assim que nós, adolescentes, dizemos pouco antes de começar a chorar desesperadamente. É, eu estou certa. Mamãe sempre disse que uma mulher não deve chorar por um homem a não ser que ele a faça feliz. Joseph não me tem feito feliz. Tem me feito sofrer. Eu amo-o e me odeio por amá-lo.
_Demetria…
Oh, eu estou tão bêbada nesse momento que até oiço a voz dele. Será que eu estou ficando paranóica?
_Demetria, para de chorar! O que fizeram com você?_Dessa vez a voz estava mais perto e senti um par de mãos fortes em minhas pernas._Demetria, olha pra mim princesa.
Levantei o rosto e olhei-o. Sua feição era preocupada e seus olhos cor de mel brilhavam à luz da lua. Ele estava perfeito e eu neste estado deplorável.
_O que você quer de mim? Me solta.
Minha voz saiu mais rouca do que aquilo que e esperava. Limpei as lágrimas que tinham escorrido sem eu me aperceber e coloquei um sorriso falso no rosto. Uma raiva repentina se apoderou de mim. Ele queria tanto que eu fosse nessa maldita festa que assim que teve oportunidade ficou se pegando com a VMP da escola.
_Demi… eu não sei o que… porque bebeu? E o que bebeu?
_Já se cansou de comer a Ashley? Porque não ficou com ela, hã? Porque veio até aqui? Porque me ligou?
_Demi, eu não sei do que você ta falando._Ele parecia desesperado. Não me importava. Eu só queria ele e a Ashley bem longe para que eu pudesse me curar.
_Eu não sou idiota. Vai lá comer ela e me deixa em paz._Tentei colocar-me de pé para ir para casa, mas acho que me levantei rápido demais e perdi o equilíbrio. Joe agarrou-me antes que eu caísse de cara no chão e pegou-me no colo._Me solta, quero ir para casa. Oh, espera, não posso. O Ian está lá com a Nina. Meu irmão pensa que a gente faz sexo selvagem quando você vai lá no meu quarto_Falei rindo._Brincadeirinha Joey, ele não acreditou. Sabia que eu só estava brincando. Agora me solta!
_Não vou te soltar. Você está completamente bêbada. Vou levar-te pra minha casa e cuidar de você. Meus pais viajaram. Não tem problema de eles contarem aos seus._Falou andando em direção a casa dele.
_Usou preservativo com a Ashley? Você sabe né, ela não tem apenas um parceiro, se é que me entende.
Eu sabia que estava falando merda, mas sabia que no dia seguinte não me lembraria de nada, por isso podia desabafar o que bem entendesse.
_Cala a boca Demi. O álcool esta falando por você!
_O álcool tem boca?_Perguntei rindo. Não me aguentei sem fazer graça._Ela é boa no que faz?_Perguntei ouvindo-o suspirar em seguida.
_Quem Demetria?
_Ashley, quem havia de ser? Oh, entendi! Ela chamou uma das amigas e fizeram um ménage. Joe safadinho!
_Demetria,_disse colocando-me no chão sem deixar de me segurar e fazendo-me olhá-lo. Já estávamos em frente à casa dele._a gente já vai conversar. Agora não faz barulho, ta bom?
Assenti positivamente e fechei a boca. Ele abriu a porta sem me soltar e deu espaço para que eu entrasse. Tropecei no tapete de entrada, mas logo me recompus. Joseph já me vinha pegar no colo de novo quando eu me afastei dele.
_Eu fico na garagem. Só fico porque preciso. Não vou invadir seu quarto nem a sua geladeira. Sei que não leva garotas no quarto. Não fala comigo e nem me toca. Não acabe com o resto do meu cérebro. Vai ficar com quantas garotas você quiser e me deixa em paz.
Caminhei lentamente para não tropeçar em nada e dirigi-me à garagem onde os garotos costumavam ensaiar. Senti braços fortes me abraçando por trás e parei de imediato. Porque ele fazia isto comigo?
_O que você bebeu?_Sua voz estava séria.
_Três copos de vodka com suco de limão, uma garrafa de vodka e uma garrafa de tequila quase cheia. É, acho que foi só isso.
_Só isso Demetria? Você estava tentando entrar em coma alcoólico?
_Não! Estava tentando esquecer que te vi beijando a Ashley. Já disse que não quero que me toque.
_Pois vou tocar e falar._Disse me virando de frente pra ele._Qual é o seu problema hein? Porque não avisou que estava indo na festa? Porque não quis que eu soubesse que você esteve lá? Porque se embebedou Demetria? Porque não me quer por perto? Sabe o quanto isso machuca? Sabe o quanto suas atitudes me machucam?
_Você quer falar de machucados? QUER JOSEPH?_Eu estava com raiva dele e sabia que podia arrepender-me, mas já tinha começado a extravasar. Joseph já não me segurava e já não estava tão perto quanto antes. Ganhei um equilíbrio e confiança que eu não sei de onde veio e comecei a gesticular enquanto deitava tudo pra fora._O meu problema é que eu estou ficando louca com todos os meu pensamentos! Eu não sei mais o que fazer! Eu só queria esquecer que vi você beijando a Ashley. Sabe porque eu queria esquecer? Porque doeu! Machucou no peito e eu não sei o que fazer para fazer com que isso vá embora! Não avisei que estava indo na festa porque eu queria surpreender você, mas a surpreendida fui eu! Eu não queria que você soubesse que eu estava lá porque estava demasiado ocupado para ter pena da melhor amiga aqui! Se eu me embebedei é porque eu queria esquecer que vi a Ashley em cima de você!
_Mas que merda Demetria! Isso pra mim é mesma coisa que dizer que está com ciúmes de que eu tivesse ficado com a Ashley!_Não respondi e nem sustentei o seu olhar. Olhei o chão e coloquei as mãos dentro dos bolsos dos shorts. Eu tinha ciúmes. Tudo isto tinha começado porque eu tinha ciúmes do Joe com outras garotas. Agora sim, eu me sinto um lixo._ Você tem ciúmes._Ele parecia não acreditar. Não me atrevi a olhá-lo. Não era corajosa agora._Demetria você tem ciúmes de mim com a Ashley?_Fiquei em silêncio e ele pareceu ficar impaciente._Me responde de uma vez! Você tem ciúmes Demetria?!
_Eu tenho ta bom? Eu tenho ciúmes de você! Eu não quero sentir isso porque somos melhores amigos, mas eu não consigo evitar. Eu tenho ciúmes e isso está deixando-me louca! Satisfeito?_Respondi olhando-o finalmente.
_Não ainda!
Sustentei o olhar dele e vi-o aproximar-se rapidamente, me envolvendo em seus braços em seguida. Joe puxou-me com força pela nuca e juntou nossos lábios num beijo forte e quieto. Era apenas um encaixe de lábios, mas era o suficiente para me deixar com borboletas no estômago. Não ofereci qualquer tipo de resistência, até porque não iria valer a pena, então aproveitei aquele simples beijo antes que tudo desmoronasse.
Quando Joe se afastou, manteve-se perto o suficiente para a ponta de nossos narizes se tocarem. Não tive coragem de abrir os olhos. Sabia que quando o fizesse ele ia dizer que tinha sido um erro e ia culpar o álcool. Eu não queria abrir os olhos. Queria guardar as sensações que ele estava me dando.
_Demi… eu não… eu…_Eu sabia. Tinha acabado o que nunca existiu.
_Esquece Joe. Eu entendi. Não devia ter acontecido. Eu sou louca, estou bêbada e isto vai passar. Você pode ficar com as garotas que você quiser. Acabou. Eu vou dormir, boa noite.
Virei-me rapidamente e quando ia começar a caminhar até à garagem, ele falou.
_Você entendeu errado. Eu quero mais. Faz muito tempo que eu quero mais!
Só entendi o que ele queria dizer quando me senti ser puxada e bater contra os músculos duros que o Joe tem. Ele segurou meu rosto com as duas mãos e juntou nossos lábios novamente desta vez com mais urgência. Quando senti a mão de Joe deslizar para minha nuca e puxar meus cabelos, dei espaço para que sua língua quente invadisse minha boca. O que eu estava sentindo naquele beijo era inexplicável. Sentia meu corpo arrepiando enquanto ardia interiormente, quando nossas línguas se tocaram, meus joelhos enfraqueceram e eu sabia que iria desfalecer ali mesmo se ele não me segurasse. Levei minhas mãos aos seus cabelos negros e aprofundei ainda mais o beijo, completamente sedenta por mais dele. Meu corpo respondia ao dele de uma forma que eu nunca vi antes. O beijo era desesperado e fiquei com ainda mais vontade de o ter pra mim, quando puxei seus cabelos com força e ele gemeu em meus lábios.
Senti-o mordiscar meu lábio inferior antes de separar nossos lábios e descer os beijos por minha mandíbula e pescoço. Deixei a minha cabeça cair para o lado, oferendo meu pescoço e deixei que ele se banqueteasse como bem entendesse.
_Eu quero você… sempre._Sussurrou ao meu ouvido, mordendo meu lóbulo em seguida.
Mordi o lábio segurando um gemido e num ato de loucura, saltei para o colo dele que me recebeu de boa vontade. Senti que ele se dirigia ás escadas e comecei a beijar o seu pescoço e mandíbula  Não sei como, nem quando, mas quando me apercebi ele já me tinha empurrado contra a porta do quarto dele e me beijado de novo. Eu não sabia se o que a gente estava fazendo era o certo, não sabia se estava preparada e não sabia o que viria depois, mas naquele momento, eu era apenas dele.
_Desculpa ter machucado você._Sussurrou enquanto me levava pelo quarto até à cama, depois de trancar a porta._Me desculpa ter ficado com outra pra te esquecer._Senti-o deitar-me na cama cuidadosamente e senti-o deitar-se sobre mim.
_Ficou com Ashley pra me esquecer?_Perguntei segurando o rosto dele com as duas mãos. Ele aproximou-se e deu-me um selinho antes de responder.
_Não é só você que tem ciúmes. Não é só você que tem andado louca._Respondeu desapertando os botões da minha camisa xadrez lentamente.
Sorri pra ele antes de puxá-lo para mais um beijo. Estava feliz por estar ali com ele, estava feliz por ele se sentir do mesmo jeito que eu. Eu não era a única autora daquela loucura. Elevei o corpo para que ele tirasse a camisa por completo e tirei os All Star e as meias com os pés enquanto o ajudava e tirar a t-shirt branca que ele usava. Beijei seu pescoço e peitoral e senti-o levar as mãos até meus quadris, adentrando a regata. Afastei-me brevemente para que a peça desaparecesse e voltei a beijá-lo, enquanto o puxava para mais perto ainda de mim.
Eu sentia-me pequena com o corpo dele sobre o meu. Sentia-me protegida do frio, sentia que nada nos poderia atingir desde que estivéssemos desse jeito, juntos.
_Linda._Sussurrou depois de observar meu tronco e distribuir beijos por minha barriga e seios.
Nunca tinha ido tão longe com Brian, nunca tinha ido tão longe com qualquer outro garoto. O único garoto em quem eu conseguia confiar era Joseph. Não importava se aquilo estava certo ou errado. Não importava se eu era virgem ou não. Não importava se eu estava sóbria ou não. Naquele momento, eu era dele!
_Joseph…_Gemi baixinho quando o senti morder levemente um dos meus seios ainda cobertos pelo sutiã preto com detalhes de renda.
_Gosto tanto de ouvir você dizendo o meu nome._Murmurou em meus lábios antes de os devorar novamente.
Percorri suas costas com minhas mãos e apertei seus ombros com força quando ele deixou cair o corpo sobre o meu fazendo nossas intimidades se roçarem. Senti um formigamento e já estava ansiando por mais. Joseph estava completamente excitado, mas era o homem mais cuidadoso do mundo quando me tocava e no que dizia.
_Eu vou cuidar de você._Disse acariciando meu rosto e sorrindo. Um sorriso lindo que só perdia para seus olhos que pareciam arder quando me olhavam. Ardiam de luxuria.
_Seus olhos são a coisa mais linda que eu já vi._Disse sorrindo.
Poderia ficar ali a noite inteira, trocando palavras carinhosas com ele, mas meu corpo ansiava por mais. Ansiava por mais beijos, por mais mãos, mais dele. Contorcia-me debaixo dele que nem uma gata manhosa enquanto ele distribui-a beijos por minha pele e apertava um de meus seios, me fazendo gemer. Eu queria mais.
_Mais._Gemi.
Meus olhos estava fechados, sentindo cada sensação que os toques de Joe causavam em meu corpo, mas quando o senti imóvel, obriguei-me a olhá-lo. Ele estava sobre mim, com uma mão sobre minha barriga e o peso do corpo apoiado sobre o outro braço, apoiado na cama ao meu lado. Seus olhos estavam arregalados enquanto me olhavam e sua boca estava aberta. Ele estava paralisado.
_Joe._Chamei baixinho tentando entender o que estava acontecendo.
_Meu Deus o que eu estou fazendo?_Murmurou saindo de cima de mim e sentando na beirada da cama, de costas pra mim.
_Joe, o que houve?
Assim que perguntei isso, vi-o dirigir-se à porta rapidamente e sair do quarto, me deixando na cama seminua e em estado de choque. Se eu pensei que antes tinha acabado e estava enganada, agora eu estava certa.

Continua...

2 comentários:

  1. Anem! Are you kidding? Joe broxa! Grrr. Como vc mesma disse que a história não é sua, espero que a pessoa que escreveu tenha o bom senso de o fazer mudar de ideia... tô pirada de raiva com essa situation, kk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkkkkkkkk, leia e verá, postado linda, bjs

      Excluir