sábado, 2 de fevereiro de 2013

Capítulo 19 – Here Without You


Coloquem essa música, PERFEITA, pra carregar e soltem quando eu disser ;)

***

Nunca pensei que minha vida seria tão banal e sem graça como estava sendo. Odiava ir ao trabalho e odiava voltar pra casa. Era, cruelmente, ruim ter que olhar todo o dia para a casa dos Lovato, abrir a janela da sacada e deparar-me com a sacada dela fechada.



Depois que Demi viajou, minha rotina tem sido: trabalho, casa; casa, trabalho e devo dizer que não era bom ficar em nenhum dos ambientes.

Ashley ficava cada vez mais irritante, à medida que a barriga crescia. Ela vivia chorando e dizendo como estava gorda e feia e que assim que o bebê nascesse ela iria para a academia. Eu já não suportava mais ter que ouvir isso todo o dia, então, quando saía do trabalho, me refugiava na praia.

Caminhava sem rumo e deixando os pensamentos soltos, no geral, pensava na vida e em como ela havia sido dura comigo. Perguntava-me se merecia estar passando por isso, ficar longe de quem amo e casado com uma pessoal desequilibrada emocionalmente. Pensava em Demi, no que ela poderia estar fazendo no momento, nas amizades e nas coisas novas que ela estava descobrindo, mas, principalmente, se ela pensava em mim...

Depois de caminhar por horas e horas a esmo, voltava pra casa, pronto pra comer alguma coisa e cair na cama. Fazia muito tempo que eu e Ashley não vivíamos mais uma vida de casal, parecíamos dois amigos que moravam juntos.

Os únicos momentos que tínhamos de maior intimidade, era quando eu brincava e conversava com o bebê dentro da barriga de Ashley. Era impressionante como um ser que ainda nem estava em meus braços, podia despertar um sentimento tão genuíno de amor.

Por falar em bebê, ficamos sabendo na última ultrassonografia que era uma menina. Óbvio que eu quase morri de felicidade. Eu ia ser pai de uma princesinha. Decidimos que daríamos o nome, apenas quando olhássemos pra ela.

Cheguei em casa e logo vi um carro estranho estacionado em frente a minha casa e logo atrás um caminhão baú. Porque diabos aquilo estava estacionado ali? O que Ashley estava aprontando?

Saí rápido do carro e, ao entrar em casa, ouvi barulho de furadeiras e outras coisas que não pude identificar, vindo do andar de cima. Subi as escadas velozmente e quase enfartei com o que vi. A sala de balé estava destruída. Os espelhos estavam sendo retirados e os apoios já estavam todos empilhados em canto da sala. Ver aquela cena, foi como arrancar o que restava do meu coração fora.

- Oi amor! – Ashley veio me abraçar, mas eu logo a afastei. Não tirava os meus olhos de dentro do cômodo. – O que foi, você está bem?
- O que você fez? – foi o que consegui perguntar depois de engolir em seco.
- Ah, uma pequena obra. – ela respondeu sorrindo. – Bem, o bebê tinha que ter um quarto certo?!
- Manda eles colocarem tudo de volta. – eu disse calmante, mas ainda não olhava nos olhos dela.
- Como é? – ela perguntou franzindo o cenho. – Porque, Joe? O bebê precisa de um quarto e ninguém usa essa sala de balé...
- Manda eles colocarem tudo no lugar! – elevei um pouco a voz e Ashley me olhou assustada. – Do mesmo jeito que estava.
- Porque isso, Joe? O que deu em você? – ela perguntou quase gritando.
- Ashley, você tem o tempo do meu banho pra que essa sala esteja do jeito que ela sempre foi, entendeu?! – disse a olhando, com certa raiva, nos olhos.

Ashley não respondeu. Saí em direção ao nosso quarto e entrei no banheiro, não sem antes ouvir as ordens de Ashley pra que colocassem tudo em seu devido lugar. Quem ela pensa que é pra mexer em algo naquela casa sem me consultar? Ainda mais quando esse lugar tem sido meu refúgio nas noites em que o sono não me ajuda muito...

Demorei mais do que devia no banho, de propósito, para que tivessem tempo de arrumar tudo. A última coisa que queria era ter a imagem daquela sala destruída em minha mente por mais tempo. Saí do quarto só quando não ouvi mais nenhum barulho de obras pela casa. Desci as escadas e fui direto para a cozinha.

- O que foi aquilo? – Ashley perguntou, assim que entrei, com as mãos na cintura.
- Você não me falou nada sobre obras. – eu disse andando até a geladeira. – Essa casa também é minha.
- Pensei que iria concordar, afinal era pra fazer o quarto do bebê. – ela disse, com a voz alterada.
- Pois pensou errado. – eu disse me virando pra ela. – Não quero que mudem nada daquela sala ok?! NA-DA!
- Porque, Joe? O que tem de tão especial nessa maldita sala? – Ashley perguntou, visivelmente contrariada.
- Eu comprei essa casa por causa dessa sala, esqueceu? – disse enquanto esquentava uma comida qualquer no fogão. – De alguma forma, ela é especial e não quero que mexam nela. Assunto encerrado!
- Tudo bem! – ela disse, erguendo as mãos em sinal de rendição. – Onde sua filha vai dormir, então?
- Nosso quarto é enorme! As coisas dela devem caber lá. – eu disse dando de ombros. – Sem contar que é mais seguro.
- Eu não acredito que você vai privar sua filha de ter um quarto, por causa de uma sala de balé estúpida! – Ashley ergueu o tom de voz e eu não me segurei.
- Cala a boca! – eu praticamente berrei. – Ninguém vai tocar naquela sala! Fim de papo!

A encarei por alguns segundos e logo depois saí da cozinha, sem ao menos tocar na comida. Aquele assunto me fez perder totalmente o apetite. Antes de passar pela porta, porém, me virei pra Ashley novamente.

- Vou dormir lá essa noite, na sala de balé. – dito isso, subi para o quarto e peguei meu lençol, um travesseiro e um pequeno colchão que tínhamos guardado ali.

Caminhei em direção à sala de balé e me acomodei no cômodo. Podia parecer assustador dormir em um quarto cheio de espelhos, mas aquele lugar jamais me traria outra sensação senão a de estar mais perto de Demi.

(n/a: coloquem a música pra tocar!)

Deitei no colchão e passei a fitar o teto branco. Impossível não lembrar dela ali e do nosso primeiro beijo. Ela estava linda com a roupa de balé que definia cada curva perfeita do corpo de Demi. Em pensar que naquela época eu não imaginava a proporção que isso tomaria e que, hoje, estaria apaixonado por quela garota, um tanto inconveniente, da sacada vizinha.
                                   
A hundred days have made me older,
(Cem dias me fizeram mais velho,)
Since the last time that I saw your pretty face
(Desde o ultimo momento em que eu vi seu lindo rosto)
A thousand lies have made me colder
(Milhares de mentiras me fizeram mais frio)
And I don't think I can look at this the same
(E eu não sei se eu posso ver isso da mesma maneira)
But all the miles that separate
(Mas toda distância que nos separam)
They disappear now when I'm dreaming of your face
(Desaparecem quando eu sonho com o seu rosto)

Deus, como eu daria tudo pra saber alguma notícia dela! Se estava bem, como estava se adaptando, se tinha gostado do novo país e se estava sendo tão difícil pra ela, como estava sendo pra mim.

I'm here without you baby
(Eu estou aqui sem você, amor)
But you're still on my lonely mind
(Mas você ainda está em minha mente solitária)
I think about you baby
(Eu penso em você, amor)
And I dream about you all the time
(E eu sonho com você o tempo todo)
I'm here without you baby
(Eu estou aqui sem você, amor)
But you're still with me in my dreams
(Mas você ainda está comigo em meus sonhos)
And tonight, it's only you and me
(E hoje à noite, somos só você e eu)

Sem que eu pudesse conter, as lágrimas desceram pelo rosto. Lágrimas que trasbordavam saudades, dor, angústia e a vontade de largar tudo e ir atrás dela. Mas eu não podia! Era errado! E isso doía tanto! Eu a tinha comigo apenas em meus sonhos e pensamentos, e tinha que contentar com isso.

The miles just keep rolling
(As distâncias continuaram aumentando)
As the people leave their way to say hello
(Enquanto as pessoas deixam seus modos de dizer Olá)
I've heard this life is overrated
(Eu ouvi que essa vida é super valorizada)
But I hope that this gets better as we go
(Mas eu espero que ela melhore enquanto nós caminhamos)

Fechei os olhos e metalizei o rosto de Demi, cada traço, cada detalhe, as sardas que eu amava, o desenho das sobrancelhas, a cova adorável no queixo, as pequenas rugas que se formavam quando ela sorria... Ah o sorriso! O mais lindo de todo o universo e o que me fazia sentir vivo. O sol que iluminava meu dia. A possibilidade de me esquecer do rosto dela me assustou e, como por instinto, fechei os olhos com mais força, em uma maneira de mentalizar e memorizar aquela imagem pra sempre.

I'm here without you baby
(Eu estou aqui sem você, amor)
But you're still on my lonely mind
(Mas você ainda está em minha mente solitária)
I think about you baby
(Eu penso em você, amor)
And I dream about you all the time
(E eu sonho com você o tempo todo)
I'm here without you baby
(Eu estou aqui sem você, amor)
But you're still with me in my dreams
(Mas você ainda está comigo em meus sonhos)
And tonight, it's only you and me
(E hoje à noite, somos só você e eu)

O choro tornou-se mais intenso e eu não pude mais conter os soluços que escapavam de minha boca. Era uma dor tão intensa, um buraco tão grande e que parecia que jamais seria preenchido... A falta que sentia dela estava me matando lentamente e eu nada podia fazer. Tudo o que eu mais queria e mais amava estava à milhas de distância de mim e eu nada podia fazer.

Everything I know, and anywhere I go
(Tudo que eu sei, e em qualquer lugar que eu vou)
it gets hard but it won't take away my love
(É difícil, mas isso não vai acabar com o meu amor)
And when the last one falls, when it's all said and done
(E quando o último cair, quando tudo isso estiver dito e feito)
it gets hard but it won't take away my love
(É difícil, mas isso não vai tirar o meu amor)

Doía pensar que ela estava começando uma nova vida, conhecendo novas pessoas da idade dela e que tinham muito mais a oferecer. Eu não queria pensar que ela podia encontrar alguém por lá, mas seria estúpido descartar essa hipótese. Demi é linda, jovem, inteligente, madura... Não demoraria muito até que ela despertasse o interesse de alguém.

I'm here without you baby
(Eu estou aqui sem você, amor)
But you're still on my lonely mind
(Mas você ainda está em minha mente solitária)
I think about you baby
(Eu penso em você, amor)
And I dream about you all the time
(E eu sonho com você o tempo todo)
I'm here without you baby
(Eu estou aqui sem você, amor)
But you're still with me in my dreams
(Mas você ainda está comigo em meus sonhos)
And tonight, it's only you and me
(E hoje à noite, somos só você e eu)

Toda essa dor só me fazia pensar em: Porque? Porque a vida trazia as pessoas e as levava? Porque as deixavam mudar nossa vida e depois as faziam ir embora e deixar toda a bagunça pra trás? Porque nos faziam amar se depois teríamos que esquecer? Qual é o real motivo disso tudo?

Eu não saberia responder. Talvez, nem quisesse as respostas. Apenas usava esses questionamentos para por a culpa de ter perdido Demi em outra coisa que não em mim. Culpar-me não ía me ajudar em nada, nem tão pouco trazê-la de volta.

Sem perceber, caí no sono e em meus sonhos eu estava feliz, com Demi ao meu lado, como em todos os outros incontáveis sonhos que tive com ela durante esse tempo. Juro que, se pudesse, jamais acordaria.



Continua...


2 comentários:

  1. Que triste esse capítulo (novamente)... O Joe dessa fic é o que mais faz meu tipo até agora... Ele é uma graça! Chorando e lamentando pela falta da Demi, aff, deixa eu cuidar de vc seu lindo :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, muito triste mesmo. :(
      Postei linda.

      Excluir