domingo, 10 de fevereiro de 2013

Capítulo 26 - I Was Lost Till I Found You


Coloquem essa música dos nossos maridos pra carregar, mas só soltem quando eu disser! ;)

***

Os três dias que se seguiram até a data da viagem, foram um misto de nervosismo, incertezas e medo... Sim, eu estava com medo. Era um completo absurdo pensar que, em uma cidade enorme como Londres, nós tivéssemos alguma chance de nos encontrarmos, mas eu estava apavorado com o fato de dar de cara com Demi ao virar uma esquina qualquer, pior que isso seria se ela estivesse acompanhada pelo Sr. perfeição, mais conhecido como namorado dela.


Definitivamente, eu não estava preparado pra isso, mas a vontade de todas as certezas e probabilidades caírem por terra me arrebatava e trazia para dentro do meu coração um sentimento que, há muito, encontrava-se adormecido: esperança.

Esperança de tê-la de volta, de encontrá-la e de fazer tudo ficar bem e, bem lá no fundo, a esperança de trazê-la de volta comigo. Eu queria poder não contar muito com isso, pois minha razão sabia que pensar nisso só me destruiria ainda mais, só que as coisas nem sempre funcionavam do modo que eu queria.

E agora lá estava eu, sentado na poltrona da aeronave a caminho de Londres, a caminho do incerto, a caminho do meu amor...

O avião pousou quando o relógio do aeroporto marcava sete horas da noite, segui dali direto para meu hotel, devidamente reservado pela empresa e cujos aposentos eram dignos de um cinco estrelas, apesar do mesmo ostentar apenas quatro.

Pendurei as poucas camisas que levei, no pequeno armário do quarto, junto com as calças e os dois pares de sapato. Passaria apenas uma semana ali, tempo suficiente para fechar o negócio e de voltar com o contrato assinado. Tempo suficiente... Seria mesmo?

Caminhei até a grande janela de vidro que dava em uma sacada cuja vista era nada mais que magnífica. Tinha a leve impressão que podia ver toda a cidade dali. Debrucei-me sobre o parapeito e fiquei, por longos minutos, apenas pensando... Em nada e em tudo! Até que ouvi leves batidas na porta e autorizei a entrada, pois era o serviço de quarto com meu jantar.

- Seu jantar, senhor. – o rapaz com gravata borboleta disse.
- Obrigado. Er... Você sabe algum lugar interessante pra se ir a essa hora aqui em Londres? – perguntei enquanto tirava da carteira uma nota de vinte libras para a gorjeta.
- Bom, senhor, há vários pubs interessantes pela cidade, mas hoje, em especial, é a inauguração de um novo que não fica muito longe daqui, parece que será badalado. – ele respondeu sorrindo.
- Pode chamar um taxi pra mim e lhe dizer o destino? – perguntei já lhe entregando algumas outras notas.
- Claro, senhor. Quando o carro estiver a sua espera, o senhor será avisado. – ele disse encaminhando-se para a porta.
- Obrigado. – agradeci, sorrindo.

Tomei um banho rápido e engoli alguns pedaços de carne, estava acabando de escovar meus dentes quando o telefone tocou, era a recepcionista avisando que o taxi me esperava. Desci e, logo encontrava-me dentro do veículo e a caminho do tal pub.

Em minha cabeça, apenas a vontade de me divertir e de esquecer que estava na mesma cidade da pessoa que eu tanto amava e, ainda assim, tão distante dela. Queria, apenas naquela noite, poder esquecer-me de quem era e de como estava na merda e com o coração despedaçado.

Encontrar em um pouco de álcool o necessário para a distração e, em uma garota qualquer, poder despejar meu desejo, sem nunca realmente saciá-lo. Era como sentir o gosto de areia na boca, mesmo sabendo que você está mastigando um delicioso pedaço de carne. Não importava quão atraente era a mulher em questão, quão boa ela era na cama, ela jamais teria o essencial, pois ela jamais seria Demetria.

- Chegamos. – a voz grave e com o sotaque estranho do motorista, me despertou dos meus pensamentos.

Tirei o dinheiro da carteira para pagar a corrida e saí do veículo. O lugar estava bastante lotado e a música soava alto, até mesmo ali do lado de fora, luzes piscavam aleatoriamente por todo o lugar e, em neon, o nome do lugar destacava-se: Hole*.

- Nome interessante. – pensei alto antes de começar a caminhar para dentro do pub.

As coisas pareciam ainda mais enlouquecidas do lado de dentro. Pessoas conversavam em voz alta em suas devidas mesas e no centro do lugar, outras pessoas dançavam iluminadas por jogos de luzes que pareciam dançar tanto quanto àquelas que iluminavam.

Caminhei, com dificuldade, por entre as pessoas até chegar ao bar, pedi um drink qualquer que vi no menu e fiquei observando o movimento enquanto bebia. Quem pensa que os ingleses são pessoas sem graça e caretas, definitivamente, não os conhecem. Eles sim, sabiam como se divertir.

Eu estava no segundo drink quando decidi levantar e caminhar um pouco, antes, porém, que eu conseguisse dar o segundo passo senti alguém esbarrar em mim. Virei-me e encontrei uma garota com olhos azuis, loira e sorridente.

- Desculpa! – ela disse, risonha. – Acho que bebi demais...
- Sem problemas, você... Quer ajuda? – perguntei meio receoso.
- Não precisa se incomodar bonitão, minha amiga está bem ali. – ela disse e eu ri antes de virar o pescoço para onde ela estava apontando, apenas para que meu queixo caísse e meus olhos se esbugalhassem.

(n/a: soltem a música dos nossos maridos! ;D)

Demi estava dançando perto da mesa onde outros dois garotos estavam sentados, ela ria e cantarolava a música enquanto mexia o corpo ao som das batidas fortes. Meu cérebro conseguiu assimilar apenas uma única coisa: ela estava ainda mais linda do que eu podia lembrar!

I'm calling you out, calling you out
(Eu estou te chamando, te chamando)
So you can see what's going on
(Assim você pode ver o que está acontecendo.)
Breaking me down, breaking me down
(Derrubando-me, derrubando-me)
'Cause I can see that something's wrong
(Porque posso ver que algo está errado.)

Cabelos negros e levemente enrolados nas pontas, iam até um pouco acima da linha da cintura, pele muito alva e o sorriso mais lindo da face da terra. O corpo ainda mais bonito, pois agora ela não era mais só uma menina, minha pequena agora era uma mulher. Linda e maravilhosa mulher.

Your body is moving but your mind is somewhere else
(Seu corpo está se movendo, mas sua mente está em outro lugar)
And I don't know how to get there
(E eu não sei como chegar lá)
It's like you're losing yourself
(É como se você estivesse se perdendo)

Meu coração pulsou forte no peito, como há muito não fazia, minhas mãos suaram e minhas pernas bambearam. Eu conhecia aquela sensação, conhecia o que estava acontecendo com meu corpo, todo aquele sentimento estava de volta e, com toda a força, mesmo depois de dois anos distantes. Era mais que óbvio que eu ainda amava aquela garota. Minha garota.

No, I never thought it would come this far
(Não, eu nunca pensei que chegaria tão longe)
Got enough for me to break my heart
(Tenho o suficiente para eu quebrar meu coração)
When the music stops
(Quando a música parar)
Promise me is that you won't let it go
(Prometa-me que você não vai deixá-lo ir)
Keep dancing until tomorrow
(Continue dançando até amanhã)

- Ela é linda né?! – a garota ao meu lado disse e, só então, consegui tirar os olhos de Demi.
- É sim... – disse, quase em um sussurro.
- É, mas pode tirar o olho, ela tem namorado. – a garota riu do que disse.
- Tem? – perguntei tentando disfarçar o interesse na pergunta.
A garota apenas balançou a cabeça afirmativamente, e eu voltei minha atenção a mesa novamente, bem na hora em que um dos caras levantava para ir de encontro a Demi.

Calling you out, calling you out
(Eu estou te chamando, te chamando)
'Cause I can see we're near the end
(Porque eu posso ver que estamos perto do fim)
Letting me down, letting me down
(Deixando-me para baixo, deixando-me para baixo)
It's like we're back to one again
(É como se estivéssemos de volta para o começo novamente)

Não! Eu não suportaria isso, aquela cena era demais pra mim. Antes que pudesse pensar, antes mesmo que meu cérebro dissesse que aquilo era loucura eu já estava caminhando em direção a mesa onde Demi estava e gritava por ela a plenos pulmões.

 Your body is moving but your mind is somewhere else
(Seu corpo está se movendo, mas sua mente está em outro lugar)
And I don't know how to get there
(E eu não sei como chegar lá)
It's like you're losing yourself
(É como se você estivesse se perdendo)

- Demi! – apesar de alto, minha voz era abafada pelo som alto que tocava.
O desespero tomava conta de mim, eu não queria ver a cena com que tanto tive pesadelos, não queria ver Demi com outro cara.
- Você a conhece? – a garota ao meu lado perguntou, enquanto me seguia.
Não respondi, mas parece que não foi preciso. Ela me parou quando eu já estava bem próximo a mesa, me virando para ela e me observando com cuidado e, quando pareceu constatar algo, levou as mãos até a boca que formavam um “oh!”.
- Oh meu Deus! Você é o...

No, I never thought it would come this far
(Não, eu nunca pensei que chegaria tão longe)
Got enough for me to break my heart
(Tenho o suficiente para eu quebrar meu coração)
When the music stops
(Quando a música parar)
Promise me is that you won't let it go
(Prometa-me que você não vai deixá-lo ir)
Keep dancing until tomorrow
(Continue dançando até amanhã)

- Joe? – não foi a garota dos olhos azuis quem completou a frase e sim a voz que assombrou meus sonhos por todos esses anos.

Olhei na direção em que ela estava e a vi parada, olhando pra mim com a expressão incrédula e os olhos marejados. Ela mantinha as mãos entrelaçadas as do tal garoto ao lado dela e foi então que um nó se formou na minha garganta.

No, we're not gonna stop when they hit the lights
(Não, não vamos parar quando acenderem as luzes)
When the rest is gone, do the one thing right
(Quando o resto se foi, faça a coisa certa)
When the music stops, promise me that you won't let it go
(Quando a música pára, prometa-me que você não vai deixá-lo ir)
Keep dancing until tomorrow
(Continue dançando até amanhã)

- Quem é esse cara? – o branquelo ao lado dela perguntou e eu parei pra prestar atenção na resposta que ela daria.

Demi pareceu tensa, acho que pelo olhar que lancei a ela, foi possível deduzir que das palavras que sairiam da boca dela, dependiam e colocariam em risco muitas coisas.

- Meu vizinho... – ela disse engolindo em seco. – Lá dos Estados Unidos.

Fiquei por breves segundos olhando-a, até que consegui proferir as palavras com toda a mágoa que ainda guardava em meu peito.

No, I never thought it would come this far
(Não, eu nunca pensei que chegaria tão longe)
Got enough for me to break my heart
(Tenho o suficiente para eu quebrar meu coração)
When the music stops
(Quando a música parar)
Promise me that you won't let it go
(Prometa-me que você não vai deixá-lo ir)
Keep dancing until tomorrow
(Continue dançando até amanhã)

- Então é nesse mero adjetivo que você resume o homem a quem você jurou amar pra sempre? – eu disse olhando-a intensamente.

Uma lágrima rolou pelos olhos dela ao ouvir minhas palavras, mas nem assim a mágoa que eu carregava dela se esvaiu, então continuei.

- É assim que você nomeia o cara que esperou por você durante todo esse tempo enquanto você brincava de namorar um inglesinho?

No, we're not gonna stop when they hit the lights
(Não, não vamos parar quando acenderem as luzes)
When the rest is gone, do the one thing right
(Quando o resto se foi, faça a coisa certa)
When the music stops, promise me is that you won't let it go
(Quando a música pára, prometa-me que você não vai deixá-lo ir)
Keep dancing until tomorrow
(Continue dançando até amanhã)

Demi soltou a mão do cara ao seu lado e ameaçou andar até mim, mas eu não deixei que ela se aproximasse. Virei-me de costas e comecei a caminhar em direção a saída. Era o suficiente pra mim. Talvez era disso que meu coração precisava, talvez agora ele se conformasse que ela estava melhor e mais feliz sem mim e que pra ela eu não passava de um vizinho.

No, we're not gonna stop when they hit the lights
(Não, não vamos parar quando acenderem as luzes)
When the rest is gone, do the one thing right
(Quando o resto se foi, faça a coisa certa)
When the music stops, promise me is that you won't let it go
(Quando a música pára, prometa-me que você não vai deixá-lo ir)
Keep dancing until tomorrow
(Continue dançando até amanhã)

Nunca pensei que ouviria isso dela, nunca pensei que ela pudesse ter me esquecido tão facilmente. Em pensar que enquanto eu me afogava em lágrimas e me martirizava todos os segundos da minha vida, ela estava aqui, curtindo a vida com o namorado dela. Eu era um grande imbecil, mesmo! Eu estava abrindo a porta do meu carro quando senti alguém puxar meu braço. Virei para ver quem era e encontrei os olhos marejados de Demi fitando-me com angustia e tristeza. Ela não disse uma palavra, apenas jogou-se em meus braços e procurou meus lábios com urgência. Deus, como eu havia sentindo falta daquele beijo!


Continua...


2 comentários:

  1. Afff Demi, eu vou te dar uns tapas! Ainda bem que eles se reencontraram... Já falei que quero o Joe dessa fic pra mim? Rs!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já falou sim kkkkkkkkkkkk
      postado, bjs!

      Excluir